Carlos Collodi, italiano de Toscana, lança uma segunda EDIÇÃO DE “As Aventuras de Pinóquio”, pela PAULUS Editora.

“O texto de Collodi pode se aproximar do que chamamos hoje politicamente incorreto – Pinóquio quer, sim, descobrir o que o mundo tinha para oferecer e se arriscava […]. As aventuras de Pinóquio é um texto de caráter universal, ou seja, ele se ressignifica em cada nova relação de aproximação estabelecida […].

O personagem Gepeto vê no boneco um filho tem por ele o carinho e a responsabilidade de um pai preocupado e zeloso. Outro personagem que desperta nossa atenção é o Grilo Falante. Essa figura emblemática funciona para Pinóquio como uma consciência externa, alertando-o sobre os perigos que corre e tenta evitar que nosso boneco de pau aja de maneira inconsequente ou má […] vive ainda a fase da contestação e da rebeldia […]. A Fada Azul personifica a esperança e a possibilidade de concretização dos sonhos e desejos íntimos; para Pinóquio esse sonho é ser transformado num menino de verdade.” (Páginas Abertas, Ano 44 – nº 79 PAULUS – Out-Dez 2019. LI E RECOMENDO. Por Alexandre Carvalho. p22,23).

O brasileiro deve refletir qual a sua contribuição para o surgimento de Pinóquios que mentem o tempo todo, enganando o sofrido povo brasileiro e até a elite.

O Pinóquio brasileiro mais parece um Macunaíma (Leia “Macunaíma, o herói sem nenhum caráter”, de Mário de Andrade), sempre preocupado em se projetar às custas dos outros. Ele pode se tornar uma pessoa manipuladora, calculista e perigosa.

Estas considerações sobre o Pinóquio brasileiro são de caráter universal, não se prendendo especificamente a determinada pessoa.

O nosso Pinóquio usa Gepeto, a Fada Azul e outros personagens única e exclusivamente para se beneficiar, podendo descartar quem quer que seja quando bem entender. Hodiernamente não assume a responsabilidade de seus atos, algumas vezes se considera o Pai dos Pobres, mas na realidade é a Mãe dos Ricos, com quem mantém uma relação promíscua.

O seu grande desejo é deixar de ser pobre e se tornar rico de verdade, negociando sua riqueza a todo custo. Alguns Pinóquios se consideram a alma mais pura do Brasil.

Talvez a maior satisfação de sua vida seja o seu currículo e tornar todos os seus parentes ricos de uma hora para outra, se considerando uma de pessoa pobre e humilde, jamais usurpadora e hipócrita.

A Bíblia alerta que o Diabo é o pai da mentira. A mentira pode ser encontrada na Bíblia em Pv 30:8; Rm1:2; Ef 4:25; 2Ts 2:11; 1Jo 2:21; Ap 14:5; Ap 22:15.

O Brasil e os brasileiros devem parar de produzir Pinóquio em série, que em nada contribuem para o bem comum, e valorizar quem realmente merece e pratica a verdade.

Reflita: “Coitado do mentiroso. Mente uma vez, mente sempre. Mesmo que fale verdade, todos lhe dizem que mente.” (Folclore Português).

Titular do Coluna Patriota Isaac escreveu para o Jornal do Rebouças 160 textos no período de 2018 a 2021. Era Tenente-Coronel do Exército Brasileiro, bacharel em Ciências Militares pela AMAN, bacharel em Administração pela UFSM, especialista em Comunicações pela EsCOM, Mestre em Operações Militares pela EsAO, extensão em Política e Estratégia pela ADESG, Análise e Desenvolvimento de SI Gerenciais pelo ISPG, Curso Livre em Teologia pelo ITQ Água Verde, patriota da LDN-PR e palestrante. Faleceu aos 66 anos, vítima da Covid-19.