Carlos Collodi, italiano de Toscana, lança uma segunda EDIÇÃO DE “As Aventuras de Pinóquio”, pela PAULUS Editora.

“O texto de Collodi pode se aproximar do que chamamos hoje politicamente incorreto – Pinóquio quer, sim, descobrir o que o mundo tinha para oferecer e se arriscava […]. As aventuras de Pinóquio é um texto de caráter universal, ou seja, ele se ressignifica em cada nova relação de aproximação estabelecida […].

O personagem Gepeto vê no boneco um filho tem por ele o carinho e a responsabilidade de um pai preocupado e zeloso. Outro personagem que desperta nossa atenção é o Grilo Falante. Essa figura emblemática funciona para Pinóquio como uma consciência externa, alertando-o sobre os perigos que corre e tenta evitar que nosso boneco de pau aja de maneira inconsequente ou má […] vive ainda a fase da contestação e da rebeldia […]. A Fada Azul personifica a esperança e a possibilidade de concretização dos sonhos e desejos íntimos; para Pinóquio esse sonho é ser transformado num menino de verdade.” (Páginas Abertas, Ano 44 – nº 79 PAULUS – Out-Dez 2019. LI E RECOMENDO. Por Alexandre Carvalho. p22,23).

O brasileiro deve refletir qual a sua contribuição para o surgimento de Pinóquios que mentem o tempo todo, enganando o sofrido povo brasileiro e até a elite.

O Pinóquio brasileiro mais parece um Macunaíma (Leia “Macunaíma, o herói sem nenhum caráter”, de Mário de Andrade), sempre preocupado em se projetar às custas dos outros. Ele pode se tornar uma pessoa manipuladora, calculista e perigosa.

Estas considerações sobre o Pinóquio brasileiro são de caráter universal, não se prendendo especificamente a determinada pessoa.

O nosso Pinóquio usa Gepeto, a Fada Azul e outros personagens única e exclusivamente para se beneficiar, podendo descartar quem quer que seja quando bem entender. Hodiernamente não assume a responsabilidade de seus atos, algumas vezes se considera o Pai dos Pobres, mas na realidade é a Mãe dos Ricos, com quem mantém uma relação promíscua.

O seu grande desejo é deixar de ser pobre e se tornar rico de verdade, negociando sua riqueza a todo custo. Alguns Pinóquios se consideram a alma mais pura do Brasil.

Talvez a maior satisfação de sua vida seja o seu currículo e tornar todos os seus parentes ricos de uma hora para outra, se considerando uma de pessoa pobre e humilde, jamais usurpadora e hipócrita.

A Bíblia alerta que o Diabo é o pai da mentira. A mentira pode ser encontrada na Bíblia em Pv 30:8; Rm1:2; Ef 4:25; 2Ts 2:11; 1Jo 2:21; Ap 14:5; Ap 22:15.

O Brasil e os brasileiros devem parar de produzir Pinóquio em série, que em nada contribuem para o bem comum, e valorizar quem realmente merece e pratica a verdade.

Reflita: “Coitado do mentiroso. Mente uma vez, mente sempre. Mesmo que fale verdade, todos lhe dizem que mente.” (Folclore Português).

Isaac Carreiro Filho (em memória)
Titular do Coluna Patriota Isaac escreveu para o Jornal do Rebouças 160 textos no período de 2018 a 2021. Era Tenente-Coronel do Exército Brasileiro, bacharel em Ciências Militares pela AMAN, bacharel em Administração pela UFSM, especialista em Comunicações pela EsCOM, Mestre em Operações Militares pela EsAO, extensão em Política e Estratégia pela ADESG, Análise e Desenvolvimento de SI Gerenciais pelo ISPG, Curso Livre em Teologia pelo ITQ Água Verde, patriota da LDN-PR e palestrante. Faleceu aos 66 anos, vítima da Covid-19.