Seria o nosso comportamento condicionado à influência que recebemos?

Não há dúvidas de que os meios de comunicação impactam a sociedade moderna. De certa forma, tudo que se refere ao homem sofre a influência dos veículos de comunicação.

No início dos nos 70, os meios de comunicação em massas tradicionais já haviam estado em crise à medida que o rádio, a imprensa e a televisão deixavam de lado as minorias e os assuntos locais.

Neste contexto, as mudanças tecnológicas favoreceram o desenvolvimento de projetos coletivos de comunicação. Nos anos 60 e 70, em todas as regiões do mundo, começaram a ser desenvolvidos projetos de vídeos e emissoras de rádio locais e comunitárias contra a hegemonia e as limitações dos meios tradicionais. […]. (Desafios de Palavras. Alain Ambrosi, Valérie Peugeot e Daniel Pimienta. C & F Éditions. 2005).

Os veículos de comunicações podem ser divididos em grande abrangência como a mídia impressa e mídia eletrônica (rádio, televisão e internet) e veículos de média e baixa abrangência, como outdoors, painéis digitais, materiais impressos e brindes.

Por décadas, a TV foi o meio principal de informação e entretenimento, com filmes, novelas e comerciais. Agora, o que mudou foi a voz da internet, num processo de horizontalização da informação. Qualquer um pode produzir seus conteúdos, divulgar informação e conhecimento. Surgiram os web influencers, os influenciadores digitais […[.

“Conforme nos aproximamos de pessoas, passamos a pensar e agir de forma parecida, muitas vezes passando a compartilhar os mesmos gostos, ter opiniões similares e agir como elas. {…}. O poder de influência desses famosos é tão forte que as grandes empresas já os utilizam nas suas propagandas e para serem a cara da sua marca. Isto quer dizer que eles estão influenciando milhões de pessoas a consumir, pensar e agir.” (O PODER DA INFLUÊNCIA. Matheus Pontarolla. Como a mídia nos influencia. p.14. Revista Voz da esperança. 1ªIEQ).

Os influenciadores têm uma audiência maior do que programas de TV aberta. Os consumidores devem tomar cuidado com o conteúdo, alguns são tremendamente apelativos. Procurando, encontra-se um grande número de internautas que os defendem, justificando os vídeos postados, se dizendo fãs da diversão proporcionada.

Em geral, os seguidores têm uma mentalidade parecida com os influenciadores digitais seguidos na internet. No entanto, não há dúvidas de que a mídia tem o poder de influenciar eleições, mas quem vota é o eleitor.

Reflexão: “Ultimamente a coisa se tornou mais complexa porque as instituições tradicionais estão perdendo todo o seu poder de controle e de doutrina. A escola não ensina, a igreja não catequiza, os partidos não politizam. O que opera é um monstruoso sistema de comunicação de massa, impondo padrões de consumo inatingíveis e desejos inalcançáveis …” (Darcy Ribeiro).

Isaac Carreiro Filho (em memória)
Titular do Coluna Patriota Isaac escreveu para o Jornal do Rebouças 160 textos no período de 2018 a 2021. Era Tenente-Coronel do Exército Brasileiro, bacharel em Ciências Militares pela AMAN, bacharel em Administração pela UFSM, especialista em Comunicações pela EsCOM, Mestre em Operações Militares pela EsAO, extensão em Política e Estratégia pela ADESG, Análise e Desenvolvimento de SI Gerenciais pelo ISPG, Curso Livre em Teologia pelo ITQ Água Verde, patriota da LDN-PR e palestrante. Faleceu aos 66 anos, vítima da Covid-19.