As autoridades do País têm exercido o poder com ética? Art. 1º, § único. “Todo poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição”. (Art. 1º CF 88). As histórias de Pinóquio pipocam aqui e acolá e chamam isto de Marketing, mas parece que estão tentando sabotar o País.

A grande maioria dos brasileiros está lutando pela sobrevivência e absorvida no difícil e perigoso dia a dia, levando a crer que estamos vivendo coletivamente a Parábola do Filho Pródigo numa versão pós-moderna.

Alguns anarquistas de porão se achavam injustiçados e pediam indenizações milionárias. Ora, desde cedo aprendi que quem faz opções erradas deve arcar com o ônus de suas decisões e não imputar o seu erro, por ação ou omissão, à coletividade.

Coisa grotesca: a Comissão da Verdade fez uma coisa grotesca, levantando somente os agentes do Estado. Hermética e refratária perdeu a razão de ser pela falta do contraditório.

Outra coisa discutível é a adoção do fundão eleitoral, em que os parlamentares vão alcançar quase 2 bilhões para 2020, indo na contramão da política econômica do governo que quer cortar os gastos. Existem parlamentares que abominam esta prática, já a maioria só pensa em dinheiro, distribuição de cargos e funções para seus apaniguados. Os políticos deveriam representar melhor o cidadão.

A juventude nos Colégios Militares aprende a ser responsável e adquire hábitos e costumes saudáveis […]. A adoção de Escolas Cívico-Militares é uma tentativa de melhoria na qualidade da educação.

Reiteradamente o povo tem ido às ruas reivindicar seus direitos, o que indica que o exercício dos poderes no País não tem atendido as legítimas aspirações nacionais e o interesse público. Alguns, encastelados em suas funções e cheios de prerrogativas e direitos não têm observado que o poder deve estar na comunidade. “A única coisa que político tem medo é do povo nas ruas.” (Ulisses Guimarães).

Todo o detentor do poder exerce autoridade dada por Deus, mas nem sempre representam a comunidade, quando escolhido. Escolhido é sinônimo de selecionado, eleito, adotado.  Pelo sufrágio universal o povo chama alguém para representá-lo, delegando autoridade. Em contrapartida, o eleito deveria prestar bons serviços, dar bons frutos e não legislar em causa própria. As pesquisas de opinião e a urna eletrônica ainda são confiáveis? A verdade é que muitos se fingem de leitão para poder mamar deitados.Os escolhidos devem possuir marcas como: pessoa de fé inabalável no que faz; otimismo com pé no chão; comprometimento; postura; ter passado presente e futuro; comportamento equilibrado; atitude; testemunho pregresso por meio de obras ou serviços comunitários já prestados. Enfim, o escolhido deve ser um cidadão aprovado pela comunidade sem ter do que se envergonhar

Titular do Coluna Patriota Isaac escreveu para o Jornal do Rebouças 160 textos no período de 2018 a 2021. Era Tenente-Coronel do Exército Brasileiro, bacharel em Ciências Militares pela AMAN, bacharel em Administração pela UFSM, especialista em Comunicações pela EsCOM, Mestre em Operações Militares pela EsAO, extensão em Política e Estratégia pela ADESG, Análise e Desenvolvimento de SI Gerenciais pelo ISPG, Curso Livre em Teologia pelo ITQ Água Verde, patriota da LDN-PR e palestrante. Faleceu aos 66 anos, vítima da Covid-19.