O turismo tem sido usado em diversos lugares do mundo como uma importante alternativa econômica, senão a única. Para cada dinheiro investido produz dez dinheiros como retorno sobre o investimento, sendo, portanto uma atividade lucrativa.

Desta forma, o Estado do Paraná aspira a aumentar o número de turistas, haja vista o seu imenso potencial turístico e por possuir belezas naturais, rotas diversas, festas e eventos em diferentes épocas do ano.

Segundo o Aurélio (2009), turismo é “Viagem ou excursão, feita por prazer, a locais que despertam interesse. O conjunto dos serviços necessários para atrair aqueles que fazem turismo e dispensar-lhes atendimento por meio de provisão de itinerários, guias, acomodações, transporte, etc. O movimento de turistas.

Além do conforto, a segurança é um quesito importante na hora da escolha do local a ser visitado, a menos que esteja disposto a correr riscos.

A seguir, diversas modalidades de turismo e locais onde é praticado.

Turismo de aventura: Morretes, Antonina, Paranaguá, Lapa, Castro; Piên com Encontro de Trilheiros e Tombo na Lama; Guara tuba com a Rota Caminho Coroados, com trilhas, manguezais e passeios de barcos.

Turismo cultural: Londrina, Ponta Grossa, Curitiba.

Turismo de sol e mar: Guaraqueçaba, Superagui, Ilha do Mel, Lagoa de Itaipu, Rio Paraná, Ribeirão Claro.

Turismo ecológico ou ecoturismo: Prudentópolis, Foz do Iguaçu; Faxinal com a Rota das Cachoeiras.

Turismo esportivo: As principais modalidades que se incluem dentro do turismo esportivo, praticadas no Paraná, estão divididas nos meios ar, terra e água: Ar: voo livre c/ suas derivações; voo motorizado; Terra: ciclo esportes; corrida de aventura; Água: surf e suas derivações; uso de embarcações marítimas e fluviais c/ suas variações; pesca esportiva de superfície e subaquática (http://www.turismo.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=108).

Turismo gastronômico: Carneiro no Buraco, Tainha, Boi no Rolete, Carneiro no Rolete, Polenta. Capanema, por exemplo, com a Feira do Melado e a Festa do Carneiro, entre março a abril; Arapoti com a Rota do Mel; Paula Freire cm a Festa da Melancia.

Turismo de negócios e eventos: Curitiba, Foz do Iguaçu.

Turismo religioso: Lunardeli, Barracão, Bandeirantes; Astorga, com o Santuário da Nossa Senhora Aparecida; Ribeirão do Pinhal com a Festa Folia de Reis.

Turismo rural: São José dos Pinhais, São Luís do Purunã, Colombo, Araucária, Campo Magro.

Turismo de saúde: Arapoti, Coronel Vivida, Campo Mourão.

Turismo e segurança estão diretamente ligados. Afinal, ao mesmo tempo em que o viajante privilegia os destinos seguros, o aumento da circulação de pessoas nas ruas e monumentos tende a ampliar a sensação de estarmos em segurança. Estimular o círculo virtuoso entre turismo e segurança é dever dos estados e municípios e de todo cidadão. […].” (http://www.turismo.gov.br/assuntos/15-editoria-c/4914-turismo-e-seguranca-uma-relacao-virtuosa.html).

 “Paraná quer fazer do turismo uma matriz da economia, diz governador…” (https://folhadolitoral.com.br/turismo/parana-quer-fazer-do-turismo-uma-matriz-da-economia-diz-governador/#.XQbaqv5v_IU).

Isaac Carreiro Filho
Militar da Reserva Remunerada do Exército Brasileiro, especialista em Comunicações, Mestre em Ciências Militares, bacharel em Administração pela Universidade Federal de Santa Maria, extensão em Política e Estratégia pela Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra, Curso Livre em Teologia pelo Instituto Teológico Quadrangular-Água Verde, membro do Centro de Estudos Brasileiros do Paraná, patriota da Liga da Defesa Nacional-Paraná, professor, colunista e palestrante.