As Escrituras Sagradas nos dizem que Jesus Cristo deixou seu legado para a humanidade. Um dos legados deixados por Cristo, muitas vezes despercebidos, são os valiosos ensinamentos através de sua vida e obra aqui na terra, desde o nascimento até a morte e ressurreição. O mundo esperava realmente um rei terrestre, mas veio um rei celeste, que pautou toda a sua vida por servir à humanidade ao invés de ser servido.

Jesus, fruto de um caráter bem formado, exerceu a sua autoridade com humildade, autoridade e, sobretudo, com humanidade, deixando um grande exemplo de como deve se comportar um cidadão em qualquer época.

Muitas pessoas falam de fazer o bem, mas nem sempre conseguem este intento. Seguir o exemplo de Cristo, disponível nas Escrituras Sagradas, no campo da cidadania, certamente proporcionará benefícios tanto para o cidadão quanto para a comunidade onde está inserido.

Jesus, o Deus encarnado, 100% homem e 100% Deus, foi humilde de nascimento, mas pertencia à linhagem de Davi. Não foi o rei que todos esperavam, judeus e pagãos. Jesus chamou a humanidade a marchar, porém não admitiu que o chamasse Rei. Aqui um grande ensinamento é que as pessoas que estejam investidas de autoridade, principalmente as representativas, devem ter a humildade necessária e suficiente para o pleno exercício de suas funções.

Como Filho de Deus, tudo poderia ser sobre tudo e sobre todos em poder e majestade. O seu nascimento se envolveu de mistérios, como, por exemplo, a sua concepção virginal. Nasceu de uma família pobre, mas honrada. Pastores e magos acompanharam e foram até Belém para vê-lo.

Jesus era tangível, acessível e alcançável. O seu crescimento em Nazaré foi fundamental para os ensinamentos que iria deixar para o porvir. Observava a natureza à distância o que teria inspirado frases plenas de ensinamentos como “Vejam como crescem os lírios do campo” (Mt 6:28) ou “Observem as aves do céu” (Mt 6:26).  Queria se referir a um Deus provedor que se preocupa com as necessidades humanas.

Jesus mais tarde explicaria: “O meu jugo é suave”. Aquele que o seguisse iria encontrar um amigo e sentir-se-ía mais leve da carga de problemas de toda ordem. Isto significa se colocar a serviço das pessoas, mesmo sem ter nada a ver com isso, ajudando-as, apoiando-as altruisticamente.

Entrou na vida pública com mais de trinta anos, pronto para ser vir e não para ser servido. Outro ensinamento para dias atuais: ninguém deve se prontificar a servir ao cidadão sem estar devidamente preparado. Muito diferente do que se vê atualmente, notadamente no meio político, onde muitos procuram primeiramente ser servidos.

O Galileu que falou com autoridade incomum, mas com humildade. Após ser batizado, enfrentou a tentação do Diabo por quarenta dias; “Se és Filho de Deus…” (Lc 4:3,9). Ao vencer a sedução do inimigo mostrou ser imune à corrupção, ter uma regra de fé, perseverança em seus objetivos de obediência ao Pai, caráter. Os cidadãos podem ser tentados a fazer o que não querem, a serem corrompidos, porém devem resistir, se baseando neste ensinamento de Jesus, exercendo correta e conscientemente a sua cidadania.

Ao participar do casamento em Caná ensina, mostra, pela fé, ser uma pessoa amável. A obediência aos seus ensinamentos pode transformar “água em vinho” e atualmente as pessoas podem transformar o limão numa limonada: identifique o problema, apresente-o a Jesus e faça o que ele disser.

O cidadão, que tem o caráter cristão, deve exercer a sua fé na sua prática diária. Pedro lançou a sua rede ao mar (Lc 5:4-5); um aleijado descido pelo telhado foi curado (Mc 2:5) e tantos outros milagres de que participou. Assim como Jesus não fazia acepção de pessoas, pelo contrário, se preocupava com elas, considerando-as preciosas, satisfazendo as suas necessidades. “Venham a mim,todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso.” (Mt 11:28). O cidadão também deve fazer o mesmo para com o outro no sentido de ajudar na busca do bem comum.

Num mundo onde jaz o maligno e, lamentavelmente, o secularismo e valores pós-modernistas na contramão dos valores cristãos, o cidadão de bem deve tomar como exemplo e seguir os ensinamentos de Cristo.

Cristo traz muitos ensinamentos de como se praticar a cidadania, por meio de ações que demonstrem o caráter bem formado em todos os momentos, principalmente no tocante à cidadania.

Adotar as lições sobejamente mostradas na Bíblia é sinônimo de sabedoria: as boas a serem adotadas e as mal sucedidas a serem evitadas.

De qualquer forma, o cidadão deve estar alertado sobre as conseqüências do mau uso da cidadania, posto que não deve continuar perecendo por falta de conhecimento.

Portanto, Cristo deixou um grande legado no campo da cidadania que não deve ser esquecido pelo cidadão de bem, que realmente zele pela moral e os bons costumes e deseja a prosperidade da comunidade onde vive.

Aqueles que seguem Jesus são chamados de cristãos, que significa pequenos cristos. Como cristãos devemos amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos. Não fazemos acepção de pessoas. Sejamos mais colaborativos, tenhamos mais amor: a violência e a criminalidade não existem para quem realmente entende o que é o amor. Quem ama não mata, não bate, não violenta. O verdadeiro amor é racional, é ágape, incondicional, é opção. Nós escolhemos amar o mundo e as pessoas. Você é tão importante que Deus deu o seu único filho em sacrifício da humanidade para que todo que nele crer não pereça mas tenha a vida eterna. Quem crer e for batizado será salvo…

Jesus Cristo é tão importante que conseguiu dividir o tempo em antes e depois dele. Que todos tenham um Feliz Natal com Jesus Cristo no coração!

Titular do Coluna Patriota Isaac escreveu para o Jornal do Rebouças 160 textos no período de 2018 a 2021. Era Tenente-Coronel do Exército Brasileiro, bacharel em Ciências Militares pela AMAN, bacharel em Administração pela UFSM, especialista em Comunicações pela EsCOM, Mestre em Operações Militares pela EsAO, extensão em Política e Estratégia pela ADESG, Análise e Desenvolvimento de SI Gerenciais pelo ISPG, Curso Livre em Teologia pelo ITQ Água Verde, patriota da LDN-PR e palestrante. Faleceu aos 66 anos, vítima da Covid-19.