Um Plano Cívico Patriótico é um documento notável e relevante, atendendo plenamente ao interesse público. Sugere-se que um plano desta natureza deva ser desenvolvido nos colégios, independentemente do seu tamanho.

Antes de tudo, deve passar pelo crivo do Ministério da Educação e/ou da Secretaria de Educação, seja ela estadual ou municipal, para entrar no projeto político pedagógico e ser assimilado pelos executores com a devida antecedência.

Outra sugestão é a inclusão de bandas de música visando tocar o Hino Nacional, com o seu respectivo canto, toda quarta sexta-feira do mês, com a formação de professores e alunos no pátio do colégio considerado.

Presume-se que o corpo docente e discente dos colégios sejam, no mínimo, patriotas, amigos da Pátria Amada Brasil, independente de questões ideológicas e de partidarismo politico, mesmo porque em países comunistas também se pratica o culto aos símbolos nacionais, o patriotismo e o civismo.

Embora os colégios tenham conselhos, independente do poder de decisão da direção, a execução de um bom Plano Cívico Patriótico está num patamar superior de bem servir a pátria e o país, com reflexos altamente positivos ao bem comum.

Para tirar o atraso em relação a países como o Chile e até mesmo a Colômbia, no tocante ao patriotismo e à educação, o Brasil precisa trilhar novos caminhos.

Em relação às Escolas Cívico-Militares quando se faz uma pesquisa de campo, 87% dos pais querem colocar seus filhos em escolas com este modelo, que incentiva o coleguismo, sem sentimento de violência, depredação, os mais velhos tomam conta dos mais novos, formam-se grupos e o rendimento escolar chega a ser 70% acima da média de uma escola básica. Sendo o custo um pouco acima, mas ganhando na relação custo-benefício.” (Abraham Weintraub, ministro da Educação).

O Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares é uma iniciativa do Ministério da Educação, em parceria com o Ministério da Defesa, que apresenta um conceito de gestão nas áreas educacional, didático-pedagógica e administrativa com a participação do corpo docente da escola e apoio dos militares. A proposta é implantar 216 Escolas Cívico-Militares em todo o país, até 2023, sendo 54 por ano.” (http://escolacivicomilitar.mec.gov.br/).

O Brasil tem jeito: é só pensar e agir patrioticamente para o bem do país.

Titular do Coluna Patriota Isaac escreveu para o Jornal do Rebouças 160 textos no período de 2018 a 2021. Era Tenente-Coronel do Exército Brasileiro, bacharel em Ciências Militares pela AMAN, bacharel em Administração pela UFSM, especialista em Comunicações pela EsCOM, Mestre em Operações Militares pela EsAO, extensão em Política e Estratégia pela ADESG, Análise e Desenvolvimento de SI Gerenciais pelo ISPG, Curso Livre em Teologia pelo ITQ Água Verde, patriota da LDN-PR e palestrante. Faleceu aos 66 anos, vítima da Covid-19.