Ninguém quer morrer! Muitos reclamam da vida, mas se perguntados se querem morrer, a resposta normalmente é não. Há um apego à vida. Quando alguém do nosso círculo familiar ou de amizade está às portas da eternidade, pedimos a Deus que a mantenha viva, que lhe dê vida. E é a esta palavra, eternidade, que o ser humano se apega. Muitos querem ter vida o mais longa possível, mas a que preço?

Há um versículo bíblico que diz “…Deus colocou a eternidade no coração do homem…”(Ec 3:11) e isso tem sido percebido no seio da sociedade. Há um desejo de viver, viver mais do que o necessário, mas viver. Viver a qualquer custo. Existe uma indústria lucrativa da “eternidade”, “poções mágicas”, cremes que blindam a juventude, exercícios que espantam a morte. Porém o desejo de viver mais às vezes não deixa que vivamos o hoje, porque preocupados com o amanhã. É mister viver bem o hoje para se ter o amanhã. Se é que o teremos. Mas isso está no coração do homem, viver eternamente. Queremos desfrutar desta dádiva chamada vida até se esgotarem todas as nossas forças! Contudo o momento final de nossas vidas não nos pertence, mas o agora. E como estamos vivendo o agora? Com medo? Com ódio? Com dúvida? Com dor?

Se olharmos para trás com olhos observadores e realistas, veremos que o futuro sempre se apresenta sombrio, melhor tecnologicamente, porém cada vez mais devasso, mais enfermo, mais incerto. Somos uma sociedade que vive mais, mais trancada dentro de casa com seus muros altos; mais violentada em seus direitos; mais individualista. Vivemos mais distantes uns dos outros; vivemos mais desconfiados; vivemos mais enganados. Que preço estamos pagando para “viver” mais e melhor? Há avanços na medicina e retrocesso no padrão alimentar; há avanços no cuidado com o corpo e retrocesso no cuidado com a mente; há avanços sociais e retrocesso moral. Nunca fomos tão bombardeados de informações quanto hoje em dia, todavia ainda não sabemos filtrá-las, o que nos deixa titubeantes entre o certo e o errado; mal deglutimos uma notícia, já temos que expeli-la pela sua falsidade; o ovo hoje é bom, mas ontem não foi, e amanhã?

Todos queremos viver mais porque é da nossa natureza humana feita pelo divino Deus que nos fez para a eternidade! Mas pela queda do homem hoje não desfrutamos mais dessa benesse. Porém ainda há a oportunidade de viver mais, mais esperançoso, mais feliz, mais confiante, mais certo de uma vida eterna e plena, sem dor, sem choro, sem raiva, sem medo. E essa vida se vive somente em Cristo Jesus, Aquele que doou a Sua para que pudéssemos de forma cabal vivermos a nossa. É viver para crer!