Vamos reacender as raízes do patriotismo? “Ama, com fé e orgulho, a terra em que nasceste! Criança! Não verás nenhum país como este!” (A Pátria, OLAVO BILAC).                

PatriotismoPatriotismo, do grego patriotes (patrício), é o sentimento de orgulho, amor, devolução e devoção à pátria, aos seus símbolos (bandeira, hino, brasão, mitos históricos, riquezas naturais, patrimônios materiais e imateriais). É razão do amor dos que querem servir o seu país e ser solidário com os seus compatriotas”. https://pt.wikipedia.org/wiki/Patriotismo. (http://www.infopedia.pt/dicionarios/lingua-portuguesa/patriotismo).

Nacionalismo – “O nacionalismo consiste em uma ideologia e movimento político, baseados na consciência da nação, que exprimem a crença na existência de certas características comuns em uma comunidade, nacional ou supranacional, e o desejo de modelá-las politicamente. Sentimento de pertencer a um grupo por vínculos raciais, linguísticos e históricos que reivindica o direito de formar uma nação autônoma…” (www.significados.com.br/nacionalismo/).

Civismo – “O termo civismo refere-se a atitudes e comportamentos que no dia-a-dia manifestam os cidadãos na defesa de certos valores e práticas assumidas como os deveres fundamentais para a vida coletiva, visando a preservar a sua harmonia e melhorar o bem-estar de todos…” (pt.wikipedia.org/wiki/Civismo).

Essa nova realidade é vista com bons olhos pelo professor Lindomar Boneti, do curso de Sociologia da PUCPR (Pontifícia Universidade Católica do Paraná). Para ele, “quando o patriotismo não inclui autocrítica, acaba por alienar a população.”

Vivemos numa época em que se valoriza aquilo que é rentável, a curto, médio ou longo prazos. Nesse panorama capitalista de nossa história não existe espaço para sentimentos patrióticos, e cabe a escola fazer renascer esses valores em futuros cidadãos.” (br.answers.yahoo.com/question/).

Um amigo conhecido por Melquíades relatou que, quando estava em excursão do Brasil ao Chile, os passageiros chilenos cantaram o Hino Nacional do Chile assim que se cruzou a fronteira da Argentina com o Chile. A pergunta que não quer calar: E se fossem os brasileiros que estivessem entrando no Brasil será que tomariam atitude semelhante?

O Brasil tem cura, começando pelo patriotismo e pela promessa de Deus: “E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra.” (2 Crônicas 7:14).

O que foi exposto, infere-se que todo brasileiro precisa reacender as raízes do patriotismo, simples assim.

Isaac Carreiro Filho
Militar da Reserva Remunerada do Exército Brasileiro, especialista em Comunicações, Mestre em Ciências Militares, bacharel em Administração pela Universidade Federal de Santa Maria, extensão em Política e Estratégia pela Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra, Curso Livre em Teologia pelo Instituto Teológico Quadrangular, professor particular, orientador de trabalhos científicos, colunista e palestrante.