Rouquidão (disfonia) é definida como uma desordem caracterizada por alteração da qualidade vocal ou esforço vocal que prejudica a comunicação ou reduz a qualidade de vida relacionada à voz. Indivíduos com rouquidão apresentam comunicação prejudicada com seus familiares e colegas, o que pode resultar em depressão, isolamento social, absenteísmo, perdas salariais ou redução da qualidade de vida, podendo afetar recém-nascidos, bebês, crianças e adultos de qualquer idade.

Os problemas de voz afetam um em cada 13 adultos anualmente, no entanto, pode afetar pacientes de todas as idades e sexo. A rouquidão é mais comum em mulheres (taxas 50% mais altas do que homens), crianças (faixa de pico de 8 a 14 anos), idosos e profissionais com demandas vocais significativas (por exemplo, professores, artistas, operadores de telemarketing, educadores físicos). A maioria dos casos é o resultado de fatores subjacentes benignos ou autolimitados que cursam com um edema das pregas vocais, tais como, resfriado comum; uso excessivo de voz; refluxo do conteúdo ácido do estômago; laringite alérgica, que é a inflamação da laringe devido a alergias; fumar e fumo passivo; efeitos colaterais de medicação; mudanças relacionadas à idade; condições neurológicas (por exemplo, doença de Parkinson, esclerose lateral amiotrófica); intubação (processo de inserção de um tubo pela boca e nas vias aéreas) e injúria pós-cirúrgica; câncer de cabeça e pescoço.

Uma recomendação importante é de que os pacientes com rouquidão isolada não devem ser empiricamente tratados com medicamentos antirrefluxo ou antibiótico antes de sua laringe ser examinada pelo especialista, principalmente, se o sintoma durar mais que 7 a10 dias.

A cirurgia costuma ser o tratamento secundário para a maioria das pessoas com rouquidão, geralmente, reservada para os casos de movimento anormal das cordas vocais ou tônus anormal dos músculos das pregas vocais e para suspeita de tumores ou câncer. A terapia da voz (fonoterapia) é uma intervenção bem estabelecida para alguns casos (nódulos vocais) e pode ser realizada em qualquer idade, após um minucioso exame de laringoscopia. Este exame é realizado no consultório do otorrinolaringologista, sob anestesia tópica e não demanda preparo específico.

Como a rouquidão pode ser evitada? Pare de fumar e evite o fumo passivo; evite bebidas que possam desidratar o corpo, como álcool e cafeína; beba muita água, especialmente em áreas secas; use um umidificador de ambientes; evite alimentos condimentados; evite limpeza excessiva da garganta (ato de pigarrear); faça exercícios de aquecimento vocal, assim como, pausas vocais durante o trabalho e use um microfone, se possível.

Dr. Fernando Mariano
Médico especialista em Otorrinolaringologia e Medicina do Sono. Medicina Universidade Federal do Paraná (UFPR). Residência Médica em Otorrinolaringologia no Hospital de Clínicas da UFPR. Fellowship em Cirurgia Plástica de Face no Instituto Paranaense de Otorrinolaringologia (IPO). Titulo de Especialista em Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial pela Associação Médica Brasileira. Título de Especialista em Medicina do Sono pela Associação Médica Brasileira. Mestrado em Cirurgia pelo Hospital de Cllínicas da UFPR. Membro da International Surgical Sleep Society.