Vinculado ao MOVIMENTO CONSTITUCIONALISTA DE BRASILIDADE PAULISTA de 1.932 está o PAI DA AVIAÇÃO MARECHAL SANTOS DUMONT. Eis o texto de sua lavra: “São Paulo, 14 de julho de 1.932 – Meus patrícios. Solicitado pelos meus conterrâneos mineiros moradores neste Estado, para subscrever uma mensagem que reivindica a ORDEM CONSTITUCIONAL DO PAÍS, não me é dado, por motivo de moléstia, sair do refúgio a que forçadamente me acolhi, mas posso ainda por estas palavras escritas afirmar-lhes, não só o meu inteiro aplauso, como também o apelo de quem, TENDO SEMPRE VISADO A GLÓRIA DE SUA PÁTRIA DENTRO DO PROGRESSO HARMÔNICO DA HUMANIDADE, julga poder dirigir-se em geral a todos os seus patrícios, como um crente sincero em que os problemas da ordem política e econômica que ora se debatem, SOMENTE DENTRO DA LEI MAGNA PODERÃO SER RESOLVIDOS, DE FORMA A CONDUZIR A NOSSA PÁTRIA A SUPERIOR FINALIDADE DOS SEUS ALTOS DESTINOS. Viva o Brasil unido! SANTOS DUMONT”. (Trecho de uma palestra do Dr Mariano Taglianetti, no CINDACTA2).

Assim como Santos Dumont, a Força Aérea Brasileira, como as demais forças co-irmãs, se pauta por agir sempre dentro dos limites constitucionais.

Já a Medalha Constitucionalista foi criada com o fim de agraciar pessoas físicas ou jurídicas, nacionais ou estrangeiras, que por seus méritos, tenham se destacado em serviços prestados a São Paulo e ao culto da Revolução Constitucionalista de 1.932, sejam defensores da Constituição Federal, se tornando pessoas dignas de especial distinção.

O mês de outubro possui várias datas significativas para a Força Aérea Brasileira, motivo pelo qual esta coluna rende homenagens, antecipadamente, a todos os integrantes da aeronáutica, desejando êxitos profissionais e pessoais.

Congratulo-me com aqueles que trabalham e trabalharam para a manutenção da constitucionalidade brasileira, que aproveitam todas as oportunidades para elogiar o nosso torrão e repudio todos aqueles que desrespeitam, impatrioticamente, o jogo democrático e ainda tentam denegrir a imagem do país a todo custo, sabe-se lá por qual razão. Termino, parodiando Santos Dumont: “Viva o Brasil unido!”

Titular do Coluna Patriota Isaac escreveu para o Jornal do Rebouças 160 textos no período de 2018 a 2021. Era Tenente-Coronel do Exército Brasileiro, bacharel em Ciências Militares pela AMAN, bacharel em Administração pela UFSM, especialista em Comunicações pela EsCOM, Mestre em Operações Militares pela EsAO, extensão em Política e Estratégia pela ADESG, Análise e Desenvolvimento de SI Gerenciais pelo ISPG, Curso Livre em Teologia pelo ITQ Água Verde, patriota da LDN-PR e palestrante. Faleceu aos 66 anos, vítima da Covid-19.