Depende.

Rinossinusite aguda (RSA) é a inflamação da mucosa do nariz e dos seios paranasais que se apresenta geralmente com dois ou mais dos seguintes sintomas, como rinorreia e/ou obstrução nasal (sendo obrigatória a presença de um deles), dor facial e alterações do olfato. Nos pacientes pediátricos, a tosse é um sintoma bastante frequente, mais comum do que as alterações de olfato. Mas, os quadros de RSA geralmente se iniciam como uma infecção de causa viral e a grande maioria destes casos apresenta resolução espontânea dentro de 7 a 10 dias, havendo clara melhora após 5 dias de evolução. Somente em 0,5 a 2% dos casos há evolução para RSA bacteriana no adulto, e de 5-13% na criança. Ou seja, na grande maioria dos casos fazemos o tratamento apenas com medicações sintomáticas como analgésicos, anti-inflamatórios não-corticóides e descongestionantes tópicos ou sistêmicos, além de lavagem com soro fisiológico, sem a necessidade de antibióticos.

Conscientização sobre o uso correto de medicações é mais importante ainda agora nestes meses mais frios do ano, porque os riscos do uso indiscriminado de antibióticos (que servem apenas para tratar infecções bacterianas) são elevados. Vejam só: em um levantamento realizado nos EUA entre 2010-2011, cerca de metade da população americana recebeu um curso de tratamento com antibióticos após uma consulta médica. Desse total, cerca de metade das prescrições foi decorrente de algumas infecções de vias aéreas superiores, especialmente rinossinusites, otite média aguda supurada e faringotonsilite aguda. Mais preocupante ainda, cerca de metade dessas prescrições de antibióticos foi provavelmente desnecessária ou inapropriada.

Além do risco de lidarmos em um futuro breve com infecções de difícil controle, que outrora eram triviais, o uso inadequado de antibióticos está associado a outros problemas, como o risco de efeitos colaterais e o aumento considerável de custo de tratamento ao sistema de saúde, seja público ou privado. No caso exposto, será indicado antibiótico, ou seja o diagnóstico de RSA bacteriana deve ser considerado, apenas nos pacientes com sintomas por mais de 10 dias e que apresentem pelo menos 3 dos seguintes critérios:

• Piora após fase inicial mais branda;

• Rinorreia francamente purulenta (amarelo/esverdeada);

• Dor facial intensa, principalmente unilateral;

• Febre ≥38,3°C.

Portanto, saibam que é correto os médicos monitorarem os sintomas e o exame físico dos pacientes por alguns dias, antes de prescrever antibióticos, sobretudo nas crianças onde as infecções virais são muito prevalentes e os seios da face ainda não estão completamente desenvolvidos.

Dr. Fernando Mariano
Médico especialista em Otorrinolaringologia e Medicina do Sono. Medicina Universidade Federal do Paraná (UFPR). Residência Médica em Otorrinolaringologia no Hospital de Clínicas da UFPR. Fellowship em Cirurgia Plástica de Face no Instituto Paranaense de Otorrinolaringologia (IPO). Titulo de Especialista em Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial pela Associação Médica Brasileira. Título de Especialista em Medicina do Sono pela Associação Médica Brasileira. Mestrado em Cirurgia pelo Hospital de Cllínicas da UFPR. Membro da International Surgical Sleep Society.