Para ser um cristão ou pequeno Cristo, a pessoa precisa ter uma vivência cristã, viver imitando Cristo, obedecendo seus ensinamentos. Esquisito alguém de repente querer ser pastor ou cristão. (Lucas 9:23). Isto é vaidade ou aflição de espírito, diria Salomão.

O cristão genuíno passa por um processo de conversão, começando com o pedido de perdão. O fato de uma pessoa se confessar os seus pecados a um pastor ou a um papa e receber a benção não é o bastante.

Nicodemos certa feita perguntou ao Mestre como poderia entrar no Reino de Deus e Jesus respondeu que era preciso nascer de novo. Também não entendeu como uma pessoa que nasceu iria nascer de novo. Jesus explicou que era necessário nascer no espírito e que Deus procura aqueles que o adorassem em espírito e em verdade. Deus não procura a glória humana nem tão pouco tolera a mentira.

Numa ocasião um jovem rico procurou Jesus e disse o que deveria fazer para segui-lo e Jesus respondeu que deveria dar tudo aos pobres e segui-lo. O rico recuou e não se teve mais notícia. Dificilmente um rico entrará no Reino dos Céus, sendo mais fácil um camelo passar num buraco de agulha do que um rico entrar no Reino. Agulha era um orifício, uma passagem existente nos muros antigamente.

Zaqueu, um baixinho e cobrador de impostos subiu numa árvore para ver Jesus, que o identificou e disse que naquela noite convinha pousar na casa dele. À noite Zaqueu se converteu e disse que se tivesse roubado alguém devolveria o dobro da quantia. Será que alguém que almeja se converter faria o mesmo, sendo ladrão ou não?

Após o primeiro milagre de transformar água em vinho, a pedido de Maria, Jesus foi levado ao deserto onde houve a tentação satânica. A intenção de Satanás era Jesus se curvar a ele, desafiando-o e prometendo todo o poder sobre a Terra em todos os tempos. Mas, preferiu resistir às tentações e cumprir a perfeita vontade do Pai, possibilitando à redenção da humanidade.

Os exemplos bíblicos são inúmeros nesta área de conversão e obediência à Palavra de Deus, só citando alguns para ilustrar.

Sem fazer juízo de valor, fica difícil entender alguém ter a pretensão de ser pastor sem ter a mínima convivência cristã. As pessoas que trabalham no ministério procuram ser um exemplo, ter uma vida dedicada às coisas de Deus e não só à política.

Além domais, existem cursos que as pessoas frequentam, dependendo da denominação. Uma pessoa para ser obreiro não é da noite para o dia, deve ser uma pessoa de oração e aprovada, sem ter do que se envergonhar.

Enfim, “Os Nossos inimigos não desistem. Só que a gente também não.” (Bárbara).

Deus, abençoe o Brasil!

Isaac Carreiro Filho
Tenente-Coronel do Exército Brasileiro, bacharel em Ciências Militares pela AMAN, bacharel em Administração pela UFSM, especialista em Comunicações pela EsCOM, Mestre em Operações Militares pela EsAO, extensão em Política e Estratégia pela ADESG, Análise e Desenvolvimento de SI Gerenciais pelo ISPG, Curso Livre em Teologia pelo ITQ Água Verde, patriota da LDN-PR, colunista e palestrante.