“Não vai ser de brincadeira ele vai ser campeão”. O torcedor avisou antes mesmo de a bola rolar neste domingo (7). No campo, a Seleção Brasileira correspondeu à altura. Em noite de reencontros, “o campeão voltou”. Voltou ao Maracanã, voltou a disputar uma final. Dentro de casa, o Brasil venceu o Peru por 3 a 1 e levantou a taça da Copa América pela nona vez em sua história.

E se é em solo brasileiro, o torneio só podia terminar com o título da Canarinho. A edição 2019 da competição foi a quinta que aconteceu no país e em todas elas a Seleção Brasileira sagrou-se campeã (1919, 1922, 1949, 1989 e 2019). 

O jogo

O duelo começou nervoso para a Seleção Brasileira, que viu o Peru criar duas boas chances em cinco minutos de jogo. Na primeira tentativa, Cueva cobrou falta com perigo e, na sequência, Tapia arriscou de fora da área. Passado o susto inicial, o Brasil colocou a bola no chão e na base da habilidade mostrou o que sabe fazer de melhor. E foi desse jeito que a rede balançou pela primeira vez. Aos 14 minutos, Gabriel Jesus recebeu lançamento na direita, driblou a marcação e cruzou na medida para Everton, que apareceu livre na área e emendou o chute fazendo explodir a torcida presente no Maracanã.

O gol deu tranquilidade para a Canarinho, que seguiu pressionando e ocupando todos os espaços do campo ofensivo. Na marca dos 23 quase veio o segundo. Dessa vez chegando pela esquerda, Firmino achou Coutinho pelo meio. O camisa 11 fez o desvio e viu a bola tirar tinta da trave adversária. O Brasil não deu trégua e, aos 35, Firmino cabeceou por cima da meta depois de ótimo cruzamento de Alex Sandro. Já aos 40 minutos, o Peru tentou responder e a arbitragem pegou um toque de mão dentro da área assinalando pênalti para os peruanos. Foi aí que o VAR entrou em ação e a tensão tomou conta do estádio. Com penalidade confirmada, Guerrero deixou tudo igual, aos 43: 1 a 1. Mas o empate durou pouco. Quatro minutos foi o tempo que a Seleção Brasileira precisou para reassumir o placar. Nos acréscimos da primeira etapa, Arthur deu belo passe para Gabriel Jesus, que bateu rasteiro no cantinho sem dar chances para defesa do goleiro Gallese.

Na volta do intervalo, a Canarinho não quis saber de diminuir o ritmo. Logo aos cinco minutos, Coutinho invadiu a área e mandou para o gol com muito perigo. Na sequência, Firmino teve mais uma chance. Everton fez jogada individual pela esquerda, tocou para Alex Sandro, que cruzou para o atacante cabecear rente ao poste. Aos 24, o Brasil passou a jogar com um a menos após expulsão de Gabriel Jesus. Em vantagem numérica, os peruanos ensaiaram uma pressão no ataque. Bem postado na defesa, a Seleção se fechou bem, na raça segurou o ímpeto dos adversários e ainda ampliou o marcador. Aos 41, o árbitro marcou pênalti para a Canarinho depois que Everton foi derrubado na área. Com a bola na marca da cal, Richarlison bateu com segurança e fechou a conta. Enquanto isso, nas arquibancadas o torcedor fazia seu show com gritos de “é campeão”, “olé” e tudo mais que se tem direito em um domingo de futebol, Maracanã e título.

BRASIL: Alisson; Dani Alves, Marquinhos, Thiago Silva e Alex Sandro; Casemiro, Arthur e Coutinho (Éder Militão); Everton (Allan), Gabriel Jesus e Firmino (Richarlison). Técnico: Tite