O problema do uso ou desuso da droga depende do fim a que o homem se propõe. Uma pessoa saudável usar droga por puro prazer para alcançar um estado de êxtase foge do campo da razoabilidade. A droga geralmente se transforma em vício, em dependência química. A coisa fica tão grave que, em casos mais agudos, o viciado é capaz de vender os objetos de dentro de casa e roubar para conseguir comprar a droga, usando muitas vezes a violência.

Sabe-se que há drogas lícitas como o álcool e o cigarro, mas que causam vários malefícios ao corpo humano do viciado e das pessoas ao redor. Outras drogas, em nosso país, são consideradas ilícitas como a maconha, a cocaína e o crack. 

Devido à dificuldade do combate, à facilidade de obtenção e venda, à complacência de algumas autoridades e, principalmente, ao rápido retorno financeiro da atividade, há muitas pessoas envolvidas no narcotráfico. Mesmo assim ainda há defensores da droga.

As autoridades e a sociedade devem discutir, sem ideologização, esta delicada questão. Qual a situação dos países onde a droga é liberada? Como andam as pessoas usuárias da droga nestes países? Como vivem os familiares dessas pessoas? Qual a relação custo versus benefício? Existe algum custo financeiro do governo e da sociedade?

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), “droga é toda e qualquer substância que quando introduzida no organismo vivo provoca modificação no funcionamento do cérebro, alterando o comportamento do usuário.”

As drogas, portanto, são substâncias químicas, naturais ou sintéticas, que provocam alterações psíquicas ou físicas em quem as consome e levam à dependência física e psicológica. Seu uso sistemático produz sérias consequências físicas, psicológicas e sociais, podendo levar ao óbito em casos mais graves, em geral por problemas circulatórios ou respiratórios: a overdose.

As principais causas para o consumo de drogas são: curiosidade, problemas, influência, falta de comunicação, timidez, temor, ansiedade, sentimento de emoções, falta de assunção de responsabilidade, rebeldia e diversão.

As principais enfermidades provocadas pelas drogas aos seus consumidores são: hepatites, cirroses, transtornos cardiovasculares, depressão, psicoses, paranoia, transtornos de apetite, úlcera, insônia, fadiga e outras. Além de provocarem grande sofrimento familiar.

Não se pode tapar o sol com a peneira. É notório que o país vive uma epidemia de drogas e não tem cabimento a legalização delas, haja vista a grande quantidade de drogados e a necessidade de tratamento. O que se deve é combater o traficante, o esquema do tráfico internacional de drogas, que enriquece com a droga.

Lembre-se: “Não preciso me drogar para ser um gênio; Não preciso ser um gênio para ser humano; Mas preciso do seu sorriso para ser feliz.” (Charles Chaplin).                 

Isaac Carreiro Filho
Militar da Reserva Remunerada do Exército Brasileiro, especialista em Comunicações, Mestre em Ciências Militares, bacharel em Administração pela Universidade Federal de Santa Maria, extensão em Política e Estratégia pela Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra, Curso Livre em Teologia pelo Instituto Teológico Quadrangular-Água Verde, membro do Centro de Estudos Brasileiros do Paraná, patriota da Liga da Defesa Nacional-Paraná, professor, colunista e palestrante.