As cenas de violência que contemplam diariamente o cotidiano do país também são fruto de décadas de políticas públicas e programas sociais equivocados que acabou privilegiando o bandido em detrimento da sociedade. Rever este quadro dramático é um grande desafio contemporâneo.

Dados do Ministério da Saúde apontam que, em cinco anos, casos de violência de filhos contra pais cresceram 111%. Segundo especialistas, a realidade pode ser bem mais drástica.

Somente no estado do Paraná, em 2016, foram dois casos por dia, num total de 799 registros. Mas, mas este número pode ser bem maior.

De acordo com especialistas, a realidade que os números têm apresentado pode ser uma pequena amostra de uma situação ainda pior. E olha que os casos tabulados são apenas das pessoas que foram aos postos de saúde.

Segundo Suzanne Jacob, Reino Unido, o problema é muito maior do que mostram as estatísticas. Dificilmente alguém vai à polícia denunciar um filho, por diversas razões, que podem comprometer tanto a vítima quanto o agressor.

A violência de crianças e adolescentes contra os pais é mais frequente em: jovens com problemas mentais; jovens com necessidades especiais; crianças adotadas; famílias com problemas de violência doméstica; jovens viciados em drogas.

Há que acrescentar que se considera violência não somente a física, mas também a psicológica por meio de palavras mal ditas e de xingamentos.

Por findo, os casos de violência de filhos contra pais no mundo não dependem nem do nível social e econômico nem do modelo de família adotado.(Texto baseado no artigo “Em cinco anos, casos de violência de filhos contra pais cresce 110%”, p.8, Cidades, Jornal Bem Paraná, de 21 de março de 2019).

Titular do Coluna Patriota Isaac escreveu para o Jornal do Rebouças 160 textos no período de 2018 a 2021. Era Tenente-Coronel do Exército Brasileiro, bacharel em Ciências Militares pela AMAN, bacharel em Administração pela UFSM, especialista em Comunicações pela EsCOM, Mestre em Operações Militares pela EsAO, extensão em Política e Estratégia pela ADESG, Análise e Desenvolvimento de SI Gerenciais pelo ISPG, Curso Livre em Teologia pelo ITQ Água Verde, patriota da LDN-PR e palestrante. Faleceu aos 66 anos, vítima da Covid-19.