Guia mostra quatro roteiros para explorar e conhecer Curitiba de bicicleta

Os 300 quilômetros de ciclovias espalhadas por toda Curitiba são um convite para explorar as belezas da capital em duas rodas. Moradores e turistas podem planejar o roteiro de bicicleta passando por cartões-postais da cidade – entre parques, bosques, jardins, praças e espaços culturais (museus e memoriais, por exemplo) – sempre, é claro, respeitando as regras de trânsito e segurança básicas.

“Boa parte do trajeto é arborizado e convidativo a pedaladas pelas áreas verdes da cidade, além de uma forma saudável e diferente de conhecer monumentos, cafés, restaurantes e bares”, afirma a presidente do Instituto Municipal de Turismo, Tatiana Turra. Segundo ela, o importante é planejar bem o roteiro levando em conta as distâncias e melhores locais para fazer eventuais paradas de descanso.

Tatiana lembra que a Prefeitura oferece o guia Curta Curitiba Pedalando, que integra a coleção Curta Curitiba.  O roteiro traz quatro passeios, com diferentes graus de dificuldade, e está disponível gratuitamente impresso, nos sete postos de informações turísticas da cidade. Além disso, é possível baixar a publicação no site do Instituto Municipal de Turismo.

“É um guia completo, com muitas fotos e um mapa com os 300 km de ciclovias (boa parte delas é de uso exclusivo das bicicletas, mas há trechos compartilhados com carros e pedestres), tudo com informações detalhadas em português, inglês e espanhol”, salienta Tatiana.

A presidente do Instituto Municipal de Turismo conta também que o guia reúne orientações importantes para que o ciclista faça um passeio com segurança. “A publicação traz artigos do Código de Trânsito que todo ciclista deve conhecer e orientações, como a importância de se usar sempre capacete e o alerta de que em parques e calçadões (da Rua XV de Novembro e do Largo da Ordem, por exemplo), onde não há ciclofaixa ou ciclovia, é obrigatório andar desmontado”, completa ela.

O guia ainda traz a distância entre o Passeio Público (Centro), ponto de partida dos quatro roteiros, e algumas atrações turísticas como o Jardim Botânico (4 km), Museu Oscar Niemeyer (2,1 km), Torre Panorâmica (3,1 km), Parque Barigui (5 km), Parque Tanguá (8 km) e Santa Felicidade (15 km).

Verão Curitiba

Tatiana lembra ainda que as ciclovias também são um incentivo a mais para moradores e turistas participarem da programação do Verão Curitiba 2019, que vai até o fim de fevereiro e ocorre nos parques Barigui, Náutico do Iguaçu, Passaúna e Lago Azul. “A malha de ciclovias da capital é um convite para conhecer a cidade de uma forma saudável”, reforça a presidente do Instituto Municipal de Turismo.


Confira a seguir os quatro roteiros, que começam no Passeio Público e que integram o guia Curta Curitiba Pedalando

[themoneytizer id=”21651-2″]

Roteiro Jardim Botânico (Nível I)

Ida e volta – 16,5 km

Saindo do Passeio Público, no Centro, siga pela ciclovia da Rua Mariano Torres, em direção à Rodoferroviária. Ao chegar na Avenida Presidente Affonso Camargo vire à esquerda, passe pela Rodoferroviária e por baixo do Viaduto do Capanema, na Av. Prefeito Omar Sabbag. Na primeira entrada, entre à direita e em seguida esquerda, para seguir na Av. Dr. Dário Lopes dos Santos.

No fim da avenida já é possível visualizar o Jardim Botânico. Para acessar a entrada, vire à esquerda na Rua Engenheiro Ostoja Roguski. Dentro do Jardim Botânico não é possível usar as bicicletas, mas há paraciclos para estacioná-las na entrada.

Saindo do Jardim Botânico, continue na Avenida Maurício Fruet até o Terminal do Capão da Imbuia. Dobrando à esquerda, siga na Rua Ronaldo José Carboni (trecho sem ciclovia) por quatro quadras, até o Bosque Capão da Imbuia, que também abriga o Museu de História Natural.

Ao sair do bosque, siga pela rua Nivaldo Braga até chegar à Avenida Victor Ferreira do Amaral, no Tarumã. Chegando, vire à esquerda e siga. No caminho, está a Praça das Nações, no Alto da XV, de onde se tem uma bela vista da cidade e um painel do artista Poty Lazzarotto.

Para retornar ao Passeio Público, siga pela ciclovia que margeia a Avenida Sete de Setembro e Rua Reinaldino Schaffenberg de Quadros. Vire à esquerda na Rua Schiller e siga pela ciclovia, cruze a Avenida Affonso Camargo e pegue a ciclovia da Avenida Dr. Dário Lopes dos Santos à direita. Vire à direita e siga pela ciclovia da Rua Mariano Torres e siga até o Passeio Público.


Roteiro Parque Barigui (Nível II)

Ida até o Parque Barigui – 13,6 km

Deixando o Passeio Público, siga a ciclovia sentido Largo Bittencourt e pegue a faixa exclusiva para bikes da Rua Mariano Torres, sentido Rodoferroviária. Siga até encontrar a Avenida Sete de Setembro e ali vire à direita. Esta avenida é a Via Calma, compartilhada por carros e ciclistas. A velocidade máxima é de 30 km/h.

Pedale até chegar à Praça do Japão, no Batel. Vale uma parada para descansar e admirar a arquitetura oriental da praça e a bela escultura da artista plástica Tomie Ohtake, inaugurada no ano passado. Seguindo adiante pela ciclovia da Avenida Sete de Setembro se chegará à Fonte de Jerusalém, também conhecida como Fonte dos Anjos. Vire à direta na Avenida Mário Tourinho e siga pela ciclovia por mais 2,7 km até o Parque Barigui, no Santo Inácio.


Roteiro Parques e Bosques Norte (Nível II)

Ida até Parque Tingui – 17,5 km

Partindo do Passeio Público, passe pela Praça Gibran Khalil, onde está o Memorial Árabe, e siga pela Rua Heitor Stockler de França, sentido Centro Cívico. Cruze a Avenida Cândido de Abreu e pegue a ciclovia na Rua Euclides Bandeira, margeando o Rio Belém. A ciclovia passa pelo Palácio das Araucárias até o Bosque João Paulo II.

No bosque, é possível estacionar a bicicleta em um dos paraciclos e conhecer o Museu Oscar Niemeyer, que fica ao lado. Seguindo pela ciclovia é possível curtir o caminho – o trajeto é cercado por árvores e acompanha o curso do rio – até o Parque São Lourenço.

Para continuar, siga pela Rua João Gava até o Parque das Pedreiras onde estão a Pedreira Paulo Leminski e a Ópera de Arame. Continuando pela ciclovia, vire à direita na Rua Eugênio Flor (atenção, este trecho não possui ciclovia) e esquerda na Rua Oswaldo Maciel, você chegará ao Parque Tanguá, no Taboão.

Para sair do parque, pegue a lateral esquerda do mirante, siga a Rua Frei Bernardino Tomat até a Rua Domingos Antônio Moro para encontrar a ciclovia novamente. Pegue à direita e siga pela Rua Fredolin Wolf por mais 2,5 km, que mesclam boas descidas e algumas subidas, para chegar ao Parque Tingui, no Pilarzinho, onde é permitido pedalar na ciclovia interna. Não deixe de visitar o Memorial Ucraniano.


Roteiro Parque Náutico Iguaçu/ Jardim Botânico (Nível III)

Ida até Jardim Botânico – 19,8 km

Ao sair do Passeio Público, siga pela Rua Mariano Torres, sentido Rodoferroviária. A ciclovia acompanhará as seguintes ruas: Conselheiro Laurindo, Cyro Vellozo, Aluízio Finzetto, até próximo ao cruzamento com a Linha Verde.

Dali, siga pela ciclofaixa da Avenida Marechal Floriano Peixoto até a rua de acesso ao Parque Náutico do Iguaçu, no Boqueirão (onde também fica o Zoológico). É possível estacionar a bicicleta nos paraciclos que ficam na entrada. Retorne pela Avenida Marechal Floriano Peixoto.

Se estiver fazendo o roteiro no fim de semana, aproveite para conhecer o Bosque Reinhard Maack, que só abre aos sábados, domingos e feriados. Vire à esquerda na Rua Waldemar Kost até a entrada do bosque.

Dentro do local é possível fazer trilhas a pé e admirar a vegetação. Na saída, continue pela Avenida Marechal Floriano Peixoto até a Linha Verde, onde você deve virar à direita. Siga por cerca de 4 km até o viaduto que dá acesso à BR-277. Passe por baixo do viaduto e pegue a primeira saída à direita. Logo à frente, a Avenida Affonso Camargo. Vire à esquerda e siga por ela até o Jardim Botânico.


Saiba mais

  • Ao pedalar, não ande na contramão. Siga sempre a direção do fluxo de trânsito;
  • Lembre-se: pedestre sempre tem preferência;
  • Não pedale na calçada e não avance o sinal;
  • Sempre ultrapasse pela esquerda;
  • KuritBike tem pontos de aluguel de bicicletas no Parque Barigui (Rua Doutor Aluízio França, 765), de segunda a domingo (das 9h às 20h); e no Centro Cívico, aos sábados e domingos (das 9h às 18h). A diária custa R$ 60 e também é possível locar por hora (R$ 15).