Índios Naipi e Tarobá apresentam lenda das Cataratas a estudantes

Índios Naipi e Tarobá apresentam lenda das Cataratas a estudantes

Uma das mais belas lendas indígenas do Sul do País, sobre o Rio Iguaçu, foi mostrada de maneira moderna e divertida para um grupo de 240 estudantes de seis escolas municipais. O grupo assistiu, nesta quinta-feira (10/5), ao espetáculo Cataratas, apresentado pelo Grupo Pantomina no auditório Salvador de Ferrante, o Guairinha.

As crianças viram os atores representar no palco o que já haviam estudado anteriormente, em sala de aula: a história de Naipi e Tarobá, da tribo Caingangue, que foram impedidos por Mboi, deus das águas, de viver um grande amor.

A aula no teatro faz parte do programa Linhas do Conhecimento. Idealizado e implantado no ano passado pelo prefeito Rafael Greca, o Linhas do Conhecimento transforma pontos da cidade em espaços de aprendizagem. Todas as semanas, centenas de crianças e estudantes participam de aulas de campo diversificadas em parques, museus, teatros e pontos turísticos, nos quatro cantos de Curitiba.

Cataratas

A narrativa popular diz que Naipi e Tarobá foram separados para sempre, um em cada lado do rio, o que explicaria a formação das Cataratas do Iguaçu, consideradascomo uma das sete maravilhas naturais do mundo. Naipi foi transformada em rocha e suas lágrimas deram origem às quedas de água, enquanto Tarobá virou uma palmeira.

Para Sandra Piotto, que integra a equipe do programa Linhas do Conhecimento, a peça serviu para ampliar o repertório cultural dos estudantes. “No espetáculo Cataratas nossos curitibinhas tiveram a oportunidade de conhecer a belíssima lenda das Cataratas do Iguaçu, apropriando-se da riqueza cultural brasileira”, disse Sandra.

Segundo Sandra, a arte propicia à criança e ao estudante o desenvolvimento, a percepção e o exercício de sensações e emoções, expandindo sentidos, por meio de diferentes linguagens.

Participação

Nesta quinta-feira, o espetáculo foi visto por estudantes das escolas municipais Professora Rejane Maria Silveira Sachette (Sítio Cercado), Manuel Da Silveira D’Elboux (Hugo Lange), Margarida Orso Dallagassa (Bairro Novo), Maria do Carmo Martins (CIC), Pilarzinho (Pilarzinho) e CEI Ritta Anna De Cassia (Cajuru).

Nesta sexta-feira (11/5), estudantes de outras cinco escolas irão assistir ao espetáculo.

Aulas de história

A lenda apresentada no palco já era conhecida dos estudantes do 5º ano da Escola Municipal Margarida Orso Dallagassa, no Bairro Novo, mas ainda assim, emocionou a estudante Thaemy Omura Medalha, de 10 anos, do 5º ano. “É triste porque o casal não pôde ficar junto, mas é lindo imaginar que o sofrimento deles criou aquela catarata tão bonita”, disse Thaemy, que aprendeu sobre a lenda no 4º ano, durante as aulas de história.

Felipe Pereira Passos, de 8 anos, estudante do 4º ano, da Escola Municipal Dom Manuel Da Silveira D Elboux, no Hugo Lange, havia aprendido sobre a lenda nas atividades de ensino religioso e arte, e, para ele, a novidade foi conhecer o Guairinha. “É muito bonito e luxuoso. Eu gostei desse placo, é um dos maiores que eu já vi”, disse o estudante.

Sobre a emoção vivenciada com o espetáculo, a reação foi semelhante à dos colegas. “É uma história de aventura triste mas que ficou mais bonita neste teatro”, contou Felipe.

Neste ano, o programa Linhas do Conhecimento realizou 123 ações, beneficiando aproximadamente 10 mil estudantes e crianças. No ano passado17,4 mil estudantes e dois mil professores participaram de 606 visitas realizadas a 40 espaços da cidade.