Professor da UEPG participa de descoberta de novo planeta

Sete cientistas brasileiros divulgam a descoberta de um novo planeta localizado na direção da constelação de Monoceros – e distante cerca de 1200 anos-luz (um ano-luz equivale’ a cerca de 9,5 quadrilhões de metros). O diretor do Observatório Astronômico e professor do Departamento de Geociências da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Marcelo Emilio, integrante da equipe de cientistas, registra que o trabalho sobre o novo astro foi aceito na prestigiada revista britânica Monthly Notices of The Royal Astronomical Society. Além do professor da UEPG, participam da descoberta, o ex-aluno do curso de licenciatura em Física da UEPG, Rodrigo C. Boufleur (ON), e o aluno pós-doc, Laerte Andrade, mais pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP), Observatório Nacional do Rio de Janeiro (ON) e da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Na manhã desta sexta-feira (01) o professor Emílio fez uma apresentação do estudo para alunos da graduação e pós-graduação da Universidade. Ele explicou que o planeta descoberto possuiu o tamanho aproximado de Saturno, mas com metade de sua massa. “É um corpo celeste gasoso, a exemplo de Júpiter em nosso sistema solar”, diz o cientista. “O planeta orbita uma estrela parecida com o Sol: sua massa é 8% maior, seu raio 21% menor e sua temperatura 200°C mais quente”.

O pesquisador destacou a importância da descoberta para a UEPG, que tem proposta de criação do curso de bacharelado em Astronomia. “Hoje a UEPG conta com uma projeção significativa nesta área, pela realização de eventos nacionais que envolveram a Sociedade Brasileira de Astronomia e entidades internacionais deste segmento da ciência, trazendo a Ponta Grossa cientistas renomados mundialmente”, comenta. O professor adianta que, ainda este ano, deverá anunciar novas conquistas que vão dar maior suporte a esse objetivo de ter na instituição um curso para a formação de astrônomos.

OUTROS ASPECTOS – O professor orientou a tese de doutoramento em Astronomia de Rodrigo Carlos Boufleur, defendida no Observatório Nacional do Rio de Janeiro, em 28 de agosto, e que deu origem ao trabalho científico. Sobre a técnica “trânsito planetário” utilizada para encontrar o planeta, o professor da UEPG assinala que é semelhante ao fenômeno dos trânsitos de Mercúrio e Vênus em frente do Sol.

Para a confirmação da existência do planeta utilizou-se a técnica de espectroscopia com um dos melhores instrumentos para esse propósito chamado HARPS (High Accuracy Radial velocity Planet Searcher), localizado em La Silla, Chile.

De acordo com o professor, outros dois planetas do tamanho de Júpiter também foram encontrados no mesmo trabalho. Entretanto, necessitam de mais observações para que seja possível determinar melhor suas massas.

Os autores do artigo sobre o novo planeta são Rodrigo C. Boufleur (ON), Marcelo Emilio (UEPG), Eduardo Janot Pacheco (IAG/USP), Laerte Andrade (UEPG), Sylvio Ferraz-Mello (IAG/USP), José Dias do Nascimento Júnior (UFRN), J. Ramiro de La Reza (ON). O artigo publicado na revista britânica Monthly Notices of The Royal Astronomical Society pode ser lido AQUI .