10.1 C
Curitiba
sexta-feira, 19 julho 2024

A menos de 1 mês da votação final, Fala Curitiba tem obras espalhadas por toda a cidade

Falta pouco para os moradores de Curitiba definirem quais indicações de obras feitas na consulta pública Fala Curitiba farão parte da Lei Orgânica Anual (LOA) 2024. As reuniões finais acontecerão de 24 a 28 de julho, a partir das 19h, nas sedes das Administrações Regionais.

Na ocasião, juntos, eles apreciarão as 300 das 35.837 sugestões mais votadas por meio dos formulários virtuais e das reuniões presenciais abertas em maio – 30 para cada uma das dez regionais administrativas em que a cidade está dividida. Elas estão sendo chanceladas pelos secretários municipais relacionados às 17 políticas públicas postas em votação e resultam da participação de 4.294 pessoas nas reuniões presenciais.

Obras públicas é a área mais demandada, com 6.269 pedidos (17,57%). Quase empatada vem Segurança Pública (16,92%). A seguir aparecem Saúde (11,65%), Trânsito (8,29%), Educação (8,23%), Meio Ambiente (7,85%) e Transporte (5,66%). As demais áreas ficam abaixo de 5% das demandas.

Pedidos atendidos

O esforço comunitário vale à pena e exemplos de frutos da mobilização estão por toda a cidade. São 403 demandas nascidas da população e transformadas em ações pela Prefeitura desde 2017 (85% concluídos e 15% em andamento).

Entre elas está o da aposentada Ivonete Maria Cirico, do Hauer, na Regional Boqueirão. Ela foi uma das responsáveis por conseguir com que a Prefeitura implantasse um novo serviço de macrodrenagem realizado pela Prefeitura ao longo da Rua Tenente Tito Teixeira de Castro, depois da demanda ser apresentada no Fala Curitiba de 2017 e incluído na LOA do ano seguinte, com 124 votos.

“Foram quatro enchentes grandes, perdi muita coisa e me mudei. Mesmo assim, lutei pela obra que beneficia meus ex-vizinhos e o resultado foi muito positivo”, conta Ivonete.

A esperada obra, lançada pelo prefeito Rafael Greca em 2019, compreende 596 metros de tubulação de 2 metros e 2,20 metros de diâmetro – praticamente o dobro das manilhas até então existentes, garantindo maior vazão. O sistema recolhe a água da chuva a partir da Rua Carmelitas e desemboca no Rio Belém. “Quando chove a água até sobe, mas não entra mais no condomínio”, completa.

Outro morador satisfeito é o corretor de seguros Roger Cavichiolo, do Seminário, na Regional Portão. Há cinco anos, um grupo de moradores liderados por ele foi à reunião do Fala Curitiba pedir providências para o Córrego Hermes Fontes, no Jardim Esplanada. O curso de água, que passa no meio da Rua Arthur Suplicy de Lacerda, acabara de sofrer desmoronamentos em três pontos de suas margens.

“Apesar de pequena, nossa comunidade conseguiu 601 votos. Tudo começou a ser encaminhado no ano seguinte e, em meados de 2020, estava pronto”, relembra o corretor sobre a mobilização no Fala Curitiba. A obra alargou e fez a contenção do córrego com barreiras ao longo de 646 metros, prevenindo alagamentos.

Relacionados

EDIÇÃO IMPRESSA Nº 120 | JUNHO/2024

spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS