25.1 C
Curitiba
domingo, 21 abril 2024

Acervo da Casa da Memória preserva a história de 330 anos de Curitiba

Curitiba chega aos 330 anos e não há lugar que guarde mais sobre a riquíssima trajetória da cidade do que a Casa da Memória. Fundada há 42 anos e hoje ocupando em um complexo na Rua São Francisco, no Centro Histórico, o espaço administrado pela Fundação Cultural de Curitiba conta com milhares de itens, documentos e artefatos que ajudam a remontar os 330 anos da capital paranaense. Veja alguns dos itens curiosos do acervo da Casa da Memória.

Certidão de nascimento de Curitiba – Livro Tombo

O mais importante dos documentos é aquele que marca a fundação da cidade: o Livro Tombo da Câmara da Villa de Curytiba. Considerado a certidão de nascimento de Curitiba, ele é o livro mais antigo do acervo, datado de 1693, e é assinado por alguns dos fundadores da cidade, incluindo Mateus Leme.

Restaurado, o manuscrito tem capa de couro e pouco mais de 100 páginas. Lá estão os primeiros atos administrativos referentes a Vila.

Livros da Porta – Fala Curitiba do século 19

Outro destaque histórico do acervo são os chamados Livros da Porta, com edições de 1893 a 1937, que registram os pedidos dos moradores para a administração pública, como autorizações para construir, reformar e vender imóveis, pagar dívidas e tributos, servindo também como um senso de Curitiba na época, pois pedidos eram feitos a funcionários que iam de porta em porta pela cidade.

Documentos históricos 

Entre os itens antigos que ajudam a contar a história da cidade estão os livros do Foro do Rocio, que faziam o levantamento das residências da área rural de Curitiba, mais de 1.800 plantas da cidade do início do século 20, dez mil fotografias antigas, entre outros.

Coleção Zequinha

Entre as relíquias do acervo também estão alguns itens da cultura popular, como o Palhaço Zequinha, mascote das balas Zequinha, a partir da década de 1920. A Casa da Memória possui uma folha de impressão original das figurinhas do palhaço e as edições de 1979 e 1980 dos álbuns do Zequinha, além da edição especial lançada em 2021, que ficará preservada para as próximas gerações.

História da Oficina de Música

Em 2019, a Casa da Memória recebeu a doação de uma partitura utilizada no encerramento do II Curso de Música e Artes Plásticas, realizado em 1966, na capital paranaense. O curso é considerado um dos eventos precursores da Oficina de Música de Curitiba, festival que teve início em 1983 e se tornou um dos maiores eventos do gênero na América Latina. 

O documento conta com as assinaturas originais dos 28 professores, brasileiros e estrangeiros, que ministraram as aulas na época, entre eles o pintor Guido Viaro e do maestro Roberto Schnorrenberg, diretor artístico do evento.

A partitura do II Curso de Música foi doada por uma das alunas do curso na época. Assim como ela, todos que possuem algum item que consideram de importância histórica ou cultural para a cidade, podem entrar em contato com a Casa da Memória para fazer uma doação ao acervo.

E qualquer um pode consultar o acervo da Casa da Memória, basta ir diretamente ao local. Além disso, parte do acervo já foi digitalizado e pode ser consultado gratuitamente pela plataforma Pergamum, que também disponibiliza acesso ao acervo dos museus e Casas da Leitura da Prefeitura de Curitiba.


Serviço: Casa da Memória

Endereço: Rua São Francisco, 319 – São Francisco
Visitação: de segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 18h

Relacionados

EDIÇÃO IMPRESSA Nº 116 | MARÇO/2024

spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS