A partida começou com o São Paulo mais presente no campo de ataque. O time visitante conseguiu abrir o placar aos 13′. Pablo recebeu na área e foi derrubado por Pedro Henrique. O próprio Pablo bateu o pênalti e Bento não conseguiu defender.

O Rubro-Negro foi em busca da reação. Carlos Eduardo caiu em disputa com Igor dentro da área, mas a arbitragem não viu falta no lance. E após uma cobrança de escanteio, Erick pegou a sobra e arriscou de bicicleta, nas mãos do goleiro.

O gol de empate do Furacão saiu aos 28′. Carlos Eduardo fez o passe para David Terans, que tentou o domínio, mas a bola ficou para Renato Kayzer, que tocou na saída do goleiro!

Mas a igualdade no placar não durou muito tempo. Aos 33′, Gabriel Sara recebeu pelo lado direito da defesa rubro-negra e cruzou rasteiro. Pablo, livre na pequena área, tocou para o gol e colocou os visitantes de novo em vantagem.

Ainda no primeiro tempo, o Athletico teve a chance de um novo empate em duas grandes jogadas de David Terans. Tiago Volpi salvou o São Paulo.

O Rubro-Negro melhorou na segunda etapa. Logo no início, duas finalizações, com Pedro Henrique e Richard. E em mais um lindo lance de Terans, ele invadiu a área, bateu cruzado, mas ninguém apareceu para desviar para a rede.

Enquanto o São Paulo recorria a todos os artifícios para fazer o tempo passar, o Furacão seguia lutando. Aos 36′, Benítez, que fazia o aquecimento junto aos reservas do São Paulo, atrapalhou uma cobrança de escanteio de Terans, foi expulso e se recusou a deixar o gramado, causando uma longa paralisação.

O árbitro deu dez minutos de acréscimos, depois mais dois. Mas o adversário seguiu matando tempo e o Athletico não conseguiu criar mais boas chances de gol.