Os espaços do transporte público vão ganhar um novo colorido com pinturas e intervenções feitas por crianças de 0 a 5 anos, atendidas na educação infantil do município e da rede de unidades contratadas. O prefeito Gustavo Fruet lançou na tarde desta segunda-feira (6) o Projeto Curitiba Brincante, que aproveitará a produção das crianças para transformar os terminais em espaços mais atraentes. O lançamento da etapa piloto do projeto foi no Terminal Vila Oficinas no Cajuru, o primeiro a receber a intervenção dos meninos e meninas.

“As crianças estão dando um excelente exemplo de respeito e valorização aos espaços públicos. Ajudaram a promover uma reflexão sobre uma nova forma de ocupação destes ambientes, sem vandalismo, e divulgando os trabalhos que acontecem no dia a dia da educação infantil”, disse o prefeito Gustavo Fruet.

Durante o lançamento, Miguel de Souza, 5 anos, aluno do CEI Casa da Criança São José, divertiu-se com Fruet, colorindo a roupa do prefeito. “Gostei de pintar os azulejos, mais ainda de brincar com o prefeito”, disse.

Ao longo da última semana, crianças atendidas no Centro de Educação Infantil (CEI) Casa da Criança São José e em outras sete unidades da rede contratada na Regional Cajuru se revezaram para levar sua criatividade e alegria ao terminal. O espaço ganhou cores e formas pelas mãozinhas que coloriram os vitrais e acompanharam a colocação de azulejos, pintados por elas durante atividades no CEI e também em casa, junto com pais.

As crianças também escolheram as cores que serão usadas nos bancos dos terminais e definiram que um deles, o mais próximo ao fraldário, será rosa, para ser preferencial para amamentação. Com isso, elas reproduzem o espaço do programa Mama Nenê que existe nas unidades de educação infantil da rede oficial e contratada, destinados às mães que amamentam. Nos domos, foram pendurados móbiles coloridos e a identificação dos banheiros também ganhou novas plaquinhas com o talento dos pequenos artistas.

Criança protagonista

Curitiba Brincante é uma parceria da Urbs – Urbanização de Curitiba S/A – e a Secretaria Municipal da Educação para dar visibilidade à criança pequena e suas produções e inseri-las no processo de intervenções artísticas para deixar os ambientes do transporte coletivo da cidade mais atraente ao público infantil.

O projeto nasceu a partir de uma sugestão dada pela equipe do CEI Casa da Criança São José para humanizar o terminal de ônibus que fica a algumas quadras da unidade. A possibilidade de apresentar à cidade o potencial da criança pequena fez com que o projeto logo fosse ampliado para todos os 21 terminais de ônibus da cidade e envolvesse as mais de 46 mil crianças de 0 a 5 anos da educação infantil atendidas nos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs), Centros de Educação Infantil (CEI) contratados e nas turmas de educação infantil nas escolas.

“Tivemos muita receptividade por parte da comunidade e a produção das crianças mexeu com o dia a dia das suas famílias. Os pais contam que os filhos preferem andar de ônibus porque querem mostrar à família os desenhos que fizeram”, disse Maria de Lourdes Rusik, diretora do Casa da Criança São José. A próxima intervenção será feita no Terminal do Centenário.

Ônibus

Além dos terminais, também haverá intervenção nos ônibus, o que acontecerá ao longo do ano, incluindo a divulgação dos desenhos produzidos pelas crianças nos monitores da mídia embarcada, instalados em 150 ônibus da cidade. Serão desenhos e riscantes produzidos pelos meninos e meninas, de diferentes turmas, durante as atividades desenvolvidas nas unidades.

“A apresentação dos desenhos aos passageiros vai chamar a atenção para o protagonismo infantil e servirá para que a população compreenda a criança como ser produtor de arte e conhecimentos, como cidadã do mundo”, explica a diretora do Departamento de Educação Infantil da Secretária Municipal da Educação, Maria da Glória Galeb.

Uma terceira ação do projeto será a distribuição de brinquedos confeccionados pelas crianças nas unidades, usando materiais recicláveis com o objetivo de tornar Curitiba uma cidade que brinca e que investe no desenvolvimento sustentável. São chocalhos, quebra-cabeças, binóculos, jogos de tabuleiros, chaveiros, peões e uma infinidade de brinquedos confeccionados com tampinhas, garrafas plásticas, papelão, papeis coloridos, retalhos de tecidos e outros materiais reaproveitados.

Outra ação para tornar o ambiente mais amigável ao público infantil diz respeito à amamentação. A partir de agora, os ônibus alimentadores terão bancos temáticos que remetem à importância do aleitamento materno e incentivam a prática.

Peças criativas

Entre os brinquedos que serão oferecidos aos usuários do transporte coletivo estão as peças criativas e divertidas confeccionadas pelas crianças do CMEI Santo Antônio, no Uberaba, confeccionadas durante as atividades e também com as famílias. “Estamos orgulhosos em poder apresentar para a cidade o talento e as inúmeras capacidades de nossas crianças”, diz a diretora Leoni Neres de Oliveira Nantes.

O presidente da Urbs, Roberto Gregório da Silva Junior, lembra que a preocupação com a humanização dos terminais de ônibus é uma preocupação presente desde o início da atual gestão. “Nossos terminais passaram a contar com fraldários, paraciclos, manutenção permanente e desenvolvimento de uma série de atividades envolvendo a comunidade. O Curitiba Brincante vai trazer a criatividade e a alegria das crianças”, afirma o presidente da Urbs, Roberto Gregório da Silva Junior.

“O projeto Curitiba Brincante reflete o objetivo do trabalho da gestão municipal que quer que a cidade reconheça as potencialidades da criança pequena, que a compreenda como produtora de cultura, saberes e de conhecimentos”, diz a superintendente de Gestão Educacional Secretaria Municipal da Educação, Ida Regina Moro Milléo de Mendonça.

O projeto é mais uma forma de dar voz ao público infantil que tem muito a contribuir para tornar a cidade mais humana a partir da sua visão de mundo.  “Essa é uma gestão que priorizou o olhar e ações para atender às necessidades das crianças e uma das necessidades da criança é o de brincar, de se desenvolver e crescer em uma cidade sustentável”, observa a secretária municipal da Educação, Roberlaybne Borges Roballo.

Nesta etapa piloto do projeto participaram 5.692 crianças de 52 unidades do Cajuru com oferta de educação infantil, seja em CMEIs, CEIs ou turmas de pré-escolas nas escolas municipais. Foram participações diretas no terminal Vila Oficinas ou na produção dos brinquedos e desenhos.

Ecochicle

No Terminal da Vila Oficinas haverá ainda a contribuição de estudantes de turmas do ensino fundamental da Escola Municipal Durival de Britto e Silva, no Cajuru. Os estudantes criaram o Ecochicle, um coletor feito com o reaproveitamento de embalagem de lenços umedecidos para recolher gomas de mascar e evitar que a guloseima seja jogada no chão ou grudada em bancos e outros mobiliários urbanos.

As gomas que forem coletadas pela engenhoca criada pela equipe de robótica Conectados serão recolhidas e transformadas em peças para jogos de tabuleiro após passarem por um processo de desbacterização. Serão dois Ecochicles instalados próximos aos banheiros e que serão recolhidos semanalmente por estudantes do Grêmio Estudantil.

Estiveram presentes no lançamento o administrador da Regional Cajuru, José Ribeiro; o vereador Hélio Wirbiski;  a chefe do Núcleo Regional de Educação, Sandra Lenara; professores, diretores e profissionais da educação.