24.8 C
Curitiba
quinta-feira, 22 fevereiro 2024

Cinemateca de Curitiba e Teatro da Vila exibem sucessos de bilheteria e filmes brasileiros de graça

O cinema é a estrela do fim de semana em Curitiba, com entrada grátis para o público assistir desde a filmes clássicos nacionais até grandes sucessos internacionais. O destaque é a mostra itinerante A Cinemateca é Brasileira, que passará pela Cinemateca de Curitiba a partir desta sexta (11/8), com entrada gratuita. 

No Teatro da Vila (R. Davi Xavier da Silva, 451 CIC) neste domingo (13/8), serão exibidos dois grandes sucessos recentes do cinema: Homem-Aranha através do Aranhaverso, às 14h30, com classificação de 10 anos, e Transformers: O Despertar das Feras, às 17h30, classificação 12 anos.

A Cinemateca é Brasileira

As sessões da mostra A Cinemateca é Brasileira acontecem nas sextas-feiras, sábados e domingos, às 17h e às 19h, na Cinemateca (Rua Pres. Carlos Cavalcanti, 1.174 – São Francisco). Conheça um pouco dos filmes em cartaz nessa primeira semana:

Sexta (11/8)
17h – São Paulo: A Sinfonia da metrópole (1929)
Documentário dos primórdios do cinema nacional, retrata a cidade de São Paulo no final da década de vinte. A obra dos diretores Rodolfo Lustig e Adalberto Kemeny é inspirada no filme do alemão Walter Ruttmann Berlim: Sinfonia da Metrópole (1927).

19h – Limite (1931)
Clássico vanguardista que já foi reconhecido por uma lista da Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine) como o melhor filme brasileiro de todos os tempos. Único longa dirigido por Mário Peixoto, aos 22 anos.

Sábado (12/8)
17h – Carnaval Atlântida (1952)
Comédia musical do estúdio Atlântida, que marcou a história da indústria cinematográfica nacional com seus filmes, apelidados de “chanchadas”. Dirigido por José Carlos Burle e estrelado pela dupla Grande Otelo e Oscarito.

19h – O Cangaceiro (1952)
Produção de outro grande estúdio cinematográfico, o Vera Cruz, o filme de Lima Barreto ganhou prêmios de melhor filme de aventura e de melhor trilha sonora no Festival de Cannes da época, e foi o primeiro longa-metragem brasileiro a alcançar prestígio internacional.

Domingo (13/8)
17h – Jeca Tatu (1959)
Longa inspirado no conto de Monteiro Lobato, foi o filme onde Amácio Mazzaropi desenvolveu a figura do caipira, seu personagem mais conhecido.

19h – Cinco Vezes Favela (1962), um dos marcos iniciais do Cinema Novo, o filme apresenta cinco histórias separadas, cada uma delas com diferentes diretores: Marcos Farias, Miguel Borges, Cacá Diegues, Joaquim Pedro de Andrade e Leon Hirszman.

Relacionados

EDIÇÃO IMPRESSA Nº 114 | JANEIRO/2024

spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS