Não é difícil vermos nas redes sociais, nossos familiares e amigos postando a informação de que seus dados pessoais e aplicativo de WhatsApp foram clonados por meio de hackers, haja vista acesso em link indevido ou então envio de códigos pessoais sem conhecimento. Todos nós estamos sujeitos a passar por esta situação, uma vez que essa prática tem sido cada vez mais recorrente em nosso cotidiano, eis que os malandros não perdem tempo e estão espalhados em todos os lugares, principalmente na internet.

De acordo com uma pesquisa realizada pela dfndr lab, laboratório especializado em segurança digital da startup PSafe, mais de 473 mil brasileiros já foram vítimas de clonagem de WhatsApp e mais de 15 mil pessoas por dia sofreram o golpe apenas no mês de setembro de 2020.

O número de pessoas que caíram no esquema foi 25% maior em relação ao mês anterior (agosto). Sendo assim, diante de tal situação você sabe como agir e quais são as medidas a tomar, a fim de resguardar seus dados e evitar qualquer tipo de prejuízo? Pois bem, a primeira coisa a se fazer é entrar em contato com a sua operadora de telefonia e informar a situação, requerendo a suspensão temporária do seu número, além de encaminhar imediatamente um e-mail para support@whatsapp.com formalizando o pedido de bloqueio, para que a sua conta pessoal seja desativada uma vez que terceira pessoa mal intencionada se apropriou e tem utilizado a sua conta para pedir valores ou extorquir (em seu nome) as pessoas sem o seu consentimento.

Após isso, com as provas em mãos, o ideal é formalizar um Boletim de Ocorrência junto ao NUCIBER – Núcleo de Combate aos Crimes Cibernéticos, órgão que tem competência e meios para investigar as contas e tentar rastrear os responsáveis pela prática delituosa, uma vez que a autoria é incerta ou desconhecida, representando desde logo o termo para que os responsáveis sejam encontrados, respondendo criminalmente pelos atos criminosos praticados.

Dra Suellen Koch Silveira
Bacharel em Ciência Política pela Faculdade Internacional de Curitiba em 2010; Graduada em Direito pela Faculdades Santa Cruz de Curitiba; Destaque Acadêmico por Desempenho como Melhor Aluna do Curso de Direito de 2015 da Faculdade Santa Cruz; Curso Direito Previdenciário pela Escola de Magistratura do Paraná em nov/2016; Curso Direito de Família e Sucessões set/2017 pela Faculdade Santa Cruz de Curitiba.