20 C
Curitiba
quinta-feira, 23 maio 2024

Cobertura vacinal infantil em Curitiba já está melhor que no período pré-pandemia

Curitiba avança na cobertura vacinal e ultrapassa patamar de 2019, último ano pré-pandemia. Das nove vacinas do calendário nacional de vacinação previstos para crianças com 1 ano de idade, a média da cobertura vacinal em 2019 foi de 90,7%. Este ano, a medição dos mesmos imunizantes, considerando o período de janeiro a setembro, registrou cobertura de 91,3%.

A melhoria é resultado das intensificações das ações e campanhas realizadas pela Prefeitura para conscientizar pais e responsáveis sobre a importância da vacinação infantil. A divulgação sobre o papel da vacina ganhou força a partir do lançamento da campanha “Quem ama, vacina” em junho deste ano.

A partir daí e do lançamento da campanha nacional do reforço contra a poliomielite – a vacina da gotinha –, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Curitiba também ampliou as estratégias de vacinação, com atendimento em horário estendido e quatro grandes ações de multivacinação aos sábados.

As ações de atualização vacinal aos fins de semana renderam 60.963 doses de imunizantes aplicadas. Neste sábado foram 8.763. Para o diretor do centro de Epidemiologia da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), Alcides Oliveira a cidade está no caminho certo.

“O país já vivia uma queda na adesão das vacinas devido a fatores, como o desaparecimento das doenças e excesso de informações falsas na internet, com a pandemia isso se acentuou. Para recuperar a cultura da vacina é preciso investir em ações de comunicação orientativa e ampliação de acesso”, explicou.  

Alerta

Embora os resultados sejam positivos, o médico alerta que a cidade está fazendo a lição de casa, mas ainda não atingiu o resultado ideal.

“Durante a pandemia de covid, com as restrições de circulação e as medidas como distanciamento e uso de máscara também preveniram a contaminação por outras doenças, mas com a retomada das atividades é necessário atualizar essa proteção, para evitar a volta de doenças já erradicadas”, explicou Oliveira.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estabelece como ideal para se criar uma rede de segurança para toda a população, a cobertura vacinal 90% para a BCG e rotavírus e de 95% para os demais imunizantes.

Das nove vacinas acompanhadas, em sete Curitiba ultrapassou os 90% do público definido pelo Ministério da Saúde.

Embora parte do calendário nacional seja voltado às crianças, existem vacinas destinadas para os adolescentes, adultos, gestantes e idosos, são 18 vacinas disponíveis gratuitamente nas 106 unidades de saúde. Além das vacinas, contra covid, influenza e poliomielite.


Dia da Vacinação

Nesta segunda-feira (17), data em que é celebrado o Dia Nacional da Vacinação, a SMS alerta sobre a importância de manter a carteira de vacinas atualizada em todas as faixas etárias. 

Moradores de Curitiba podem consultar se há vacinas pendentes no aplicativo Saúde Já Curitiba (site ou smartphone), clicar na opção “Carteira de Vacinação” e escolher a aba “Pendentes”, que irá mostrar as doses do calendário nacional de vacinação em atraso. 

Poliomielite e gripe

Além das vacinas previstas no calendário, para crianças de 1 a 4 anos, está em andamento a campanha nacional de reforço contra a poliomielite, mesmo que não haja doses em atraso, a recomendação é que as crianças dessa idade recebam essa atualização vacinal. Até o momento a cobertura vacinal do reforço está em 50%.

Para todas as pessoas a partir de 6 meses de idade a SMS também recomenda a vacina contra a gripe, que ajuda a reduzir a circulação do vírus influenza (gripe) e o risco de agravamento em caso de contaminação.
Devem receber este imunizante especialmente as pessoas dos grupos prioritários (idosos, gestantes, puérperas, crianças, pessoas com deficiência), mais suscetíveis a complicações da doença.

Relacionados

EDIÇÃO IMPRESSA Nº 118 | MAIO/2024

spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS