COPE apreende adolescentes de 17 anos suspeitos de matar policial civil em Curitiba. Foto: Divulgação Polícia Civil do Paraná

Quatro pessoas suspeitas de envolvimento na morte de um policial civil, entre elas três menores, todos de 17 anos, foram presas durante uma operação deflagrada na manhã desta quinta-feira (1ª) pelo Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), da Polícia Civil, no bairro Cidade Industrial de Curitiba. Eles confessaram a participação na morte do investigador Ubiraci Mendes, de 53 anos, na noite da última sexta-feira (26), na Vila Sandra.

Dois menores tiveram participação direta na morte dele. Um deles foi quem executou o policial e o outro dirigia a moto. Eles foram presos em casa, onde os policiais do Cope apreenderam maconha e crack prontos para venda. O terceiro adolescente apreendido comprou a arma que disparou contra a policial.

Os dois revólveres calibre 38 que eles portavam na hora do crime foram apreendidos na operação. Os policiais do Cope também encontraram a arma calibre .45 do policial civil morto.

Os adolescentes com participação direta no assassinato confessaram a autoria do crime. Todos foram encaminhados para Delegacia do Adolescente para providências legais pela suposta prática dos atos infracionais análogos aos crimes de latrocínio e tráfico de drogas. Todas as armas serão encaminhadas para perícia para confronto balístico.

O maior de idade preso, de 29 anos, é de São Paulo e possuiu várias passagens policiais no estado vizinho pelo crime de roubo. Ele responderá pelo crime de posse ilegal de arma de fogo e receptação, pois as armas foram apreendidas na residência dele. Se condenado, poderá pegar até 10 anos de prisão.

O CRIME – Na sexta-feira (27), o policial civil estava em um bar quando foi surpreendido pela dupla. Imagens de câmeras de segurança mostram que os suspeitos chegaram ao local do assassinato em uma motocicleta, estavam armados e com capacete. Os capacetes foram apreendidos nas casas de dois dos adolescentes. A motocicleta ainda não foi localizada.

O investigador estava na polícia há 22 anos e deixou uma filha de 14 anos. Ele estava afastado das atividades policiais em decorrência de uma decisão judicial. Cerca de 30 policiais do Cope participaram da ação.