Para nos protegermos das baixas temperaturas, casacos, cobertores, refeições quentes e encorpadas são algumas das alternativas adotadas nas épocas mais frias do ano. No entanto os pets também necessitam de cuidados e atenção durante esse período, principalmente em relação aos pelos

No dia 20 de março, a estação conhecida por amenizar o calor do verão e pela queda das temperaturas e ventos mais fortes desembarcou no Brasil. O outono é famoso por ser uma prévia e uma forma de preparar as pessoas para o frio do inverno, além de ser bastante lembrado por conta da queda das folhas. Para nos protegermos das baixas temperaturas, casacos, cobertores, refeições quentes e encorpadas são algumas das alternativas adotadas nas épocas mais frias do ano. No entanto os pets também necessitam de cuidados e atenção durante esse período, principalmente em relação aos pelos.

“Os pelos têm um ciclo de crescimento composto por quatro fases, sendo a exógena a responsável pela queda propriamente dita. Este processo de crescimento e queda dos pelos é esperado e normal, especialmente nas trocas de estação como primavera e outono”, explica a médica-veterinária da Botupharma, Bruna Fabro. Como no Brasil as estações do ano não costumam ser tão demarcadas, os pelos costumam cair durante o ano todo.

Porém, é importante ficar atento durante o outono caso o pelo dos cães e gatos esteja caindo mais do que o habitual e se o pet apresentar falhas na pelagem e vermelhidão pelo corpo. “Há diversas causas que podem estar relacionadas com o aumento na queda dos pelos e algumas podem acompanhar prurido (coceira), que causa grande desconforto para os animais. Dentre elas, podemos citar: alergia à picada de pulgas, reações a produtos de limpeza, efeitos colaterais de medicamentos, alergias alimentares, infecções ou inflamações na pele, problemas comportamentais e até o crescimento/desenvolvimento de tumores. Portanto, é importante ficar atento (a) e procurar um especialista imediatamente para um diagnóstico preciso e direcionamento do manejo apropriado”, diz a médica-veterinária.

Há alguns cuidados simples que podem ajudar na queda dos pelos. O principal é escovar a pelagem dos animais a cada dois dias. Outras dicas importantes são evitar banhos em excesso, realizar o controle de pulgas e carrapatos (tanto no cão quanto no ambiente), passear com mais frequência com os pets, pois isso contribui para o bem-estar dos pets refletindo também em uma pelagem mais forte e brilhante. “Outro ponto fundamental quando o assunto é a pelagem de cães e gatos é a alimentação, pois influencia diretamente na saúde dos pelos. A deficiência de nutrientes e vitaminas na dieta, além de causar retardo no crescimento, emagrecimento, predispõe os pets a inúmeras doenças e pode acentuar a queda de pelos”, ressalta Bruna.

Alguns nutrientes são essenciais para a pelagem dos pets e podem ser suplementados, como é o caso do Ômega 3, que deixa o pelo ainda mais macio e brilhante. “A vitamina D3 também é uma vitamina essencial para os pets e ajuda na manutenção dos pelos, além de ter ação imunomoduladora. Porém, diferente de nós humanos, por exemplo, cães e gatos não fazem a conversão da vitamina D3 pela exposição ao sol. Portanto, ela deve ser fornecida junto à alimentação na dose recomendada pelo médico-veterinário”, afirma a médica-veterinária. Já a Biotina, também conhecida como vitamina B7, é essencial para melhorar a aparência da pelagem, das unhas e até da pele.

Outra vitamina importante é a vitamina E, que possui ação antioxidante. É importante também manter uma dieta balanceada não só para garantir que os pelos fiquem fortes e saudáveis, mas também para evitar que o animal fique doente ou sofra por carência de nutrientes e vitaminas.

“Certifique-se de que o seu pet está recebendo uma dieta equilibrada capaz de suprir todas as exigências nutricionais levando em consideração: porte, idade e necessidades especiais para que seu pet possa ter uma melhor qualidade de vida e passar mais tempo ao seu lado.”, finaliza Bruna.