15 C
Curitiba
sábado, 18 maio 2024

Em áreas estratégicas, parques alagáveis de Curitiba servem para conter e drenar águas das chuvas

Muitas fotos e vídeos circularam nas redes sociais, neste fim de semana, mostrando o lago do Parque Barigui alagado. As fortes chuvas fizeram o Rio Barigui subir e mais uma vez o parque cumpriu sua principal função, que é conter as águas e drená-las para que não cheguem até as áreas residenciais.

Além do Barigui, os lagos dos parques São Lourenço, Bacacheri, Tingui e Atuba têm a mesma função. Os dois principais rios da cidade, o Barigui e o Belém, passam dentro dos parques Tingui, Barigui (Rio Barigui) e São Lourenço (Rio Belém) e o Rio Atuba no parque de mesmo nome.

Todos os parques da cidade foram implantados em áreas estratégicas para evitar enchentes nas regiões onde estão.

Quando as fortes chuvas chegam na cidade, como neste fim de semana, os rios sobem e extravasam dentro das áreas dos parques, que conseguem absorver melhor a grande quantidade e evitam enchentes em outras partes da cidade.  

Parques lineares

A Prefeitura de Curitiba também criou parques lineares, a partir de 2003, que ficam ao lado de rios da cidade. Os parques lineares são o Cajuru (bairro Cajuru), Mairi (na divisa da CIC e Fazendinha), Mané Garrincha (CIC) e Yberê (Campo de Santana).

Essas áreas verdes ajudam a preservar as faixas de drenagem de rios e a prevenir enchentes. Os parques também evitam novas ocupações irregulares e oferecem aos moradores uma alternativa de lazer e recreação integrados com a natureza.

Dragagem contínua

A Secretaria Municipal do Meio Ambiente faz um trabalho de manutenção constante nos lagos dos parques da cidade. De acordo com a gerente de Parques e Praças, Walquiria Pizatto, desde 2019 existe um contrato de serviço permanente para fazer a dragagem dos lagos dos parques São Lourenço, Barigui e de outros lagos do município. 

“A limpeza do material que fica assoreado no fundo dos lagos mantém a profundidade desses locais. Também temos outro contrato de contenção das margens, aproveitamos o material que é dragado para fazer a contenção dos lagos que sofrem com o processo de erosão”, explicou Walquiria. 

Esse tipo de contenção é chamado de engenharia natural, pois utiliza o material retirado do próprio lago para reforçar as margens. Essas dragagens são feitas por máquinas específicas do programa Amigo dos Rios

Amigo dos Rios

O programa Amigo dos Rios da Secretaria Municipal do Meio Ambiente está constantemente monitorando os rios e córregos da cidade, realizando limpezas para remover não apenas materiais vegetais, mas também itens descartados indevidamente pela população, como sofás, fogões e colchões.

Implantado em 2019, o Amigo dos Rios visa à melhoria e recuperação dos rios da cidade, com uma série de ações voltadas para a regularização das ligações de esgoto, fiscalização, limpeza de rios, obras e Educação Ambiental. 

É um trabalho amplo e integrado, que envolve também a comunidade com a formação de grupos de apoio local, como prioridade para o Rio Belém (e suas microbacias), que nasce e termina dentro da cidade. 

O Amigo dos Rios também trabalha nas outras bacias da cidade nos rios Passaúna, Barigui, Atuba, Iguaçu e Ribeirão dos Padilha.

Relacionados

EDIÇÃO IMPRESSA Nº 117 | ABRIL/2024

spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS