No trabalho de fiscalização de rotina, agentes de trânsito e guardas municipais continuam se deparando com veículos sem condições de circulação. A situação mais recente ocorreu nesta quinta-feira (5/9) com uma caminhonete GM Chevy 500 dourada que, para circular, utilizava um galão como tanque de gasolina adaptado. 

“As chances desse tipo de arranjo provocar uma explosão ou um acidente grave são grandes”, alerta o secretário de Defesa Social e Trânsito, Guilherme Rangel. 

O veículo tinha ainda outros problemas graves, como a inexistência de cinto de segurança para os ocupantes e pneus desgastados. “Dificulta para frear o veículo e as consequências do impacto serão maiores”, pontua o secretário. 

A fiscalização, que aconteceu na Rua Brigadeiro Arthur Carlos Peralta, no Boa Vista, também flagrou a caminhonete sem faróis nem pisca-alerta. Todos esses itens configuram mau estado de conservação, geram multa de R$ 195,23 e cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH), conforme previsto no artigo 230, inciso V do Código de Trânsito Brasileiro (CNH).

A pessoa que dirigia a caminhonete não possuía CNH nem Permissão Para Dirigir (PPD), o que configura infração de natureza gravíssima ao proprietário do veículo: sete pontos e R$ 293,47 de multa, como previsto no artigo 164 do CTB.

Com licenciamento atrasado, o responsável teve ainda outros sete pontos, multa correspondente e remoção do veículo até o pátio da Setran (artigo 230, inciso V do CTB).