Com muito sofrimento e emoção até o final. A frase serve para qualquer decisão entre Athletico e Coritiba. E serviu mais uma vez para o primeiro duelo da final de 2020. E superando todas as dificuldades, o Furacão saiu na frente do rival.

Um a zero, aos 45′ do segundo tempo. Vantagem pequena, mas fundamental. O gol de Léo Cittadini, nos últimos instantes de uma disputa equilibradíssima, pode ser a diferença que decidirá o campeonato. 

O jogo deste domingo (2) não deixa dúvidas disso. Com a marcação bem encaixada, o Coritiba dificultou muito a vida do ataque rubro-negro. Sabendo da força do Furacão pelas pontas, o treinador adversário congestionou o setor e fechou os espaços, principalmente pelo lado direito.

Nikão sempre tinha ao menos dois marcadores no seu encalço. E com vários desfalques nas laterais (Márcio Azevedo, Érick, Adriano), o Athletico teve que buscar espaços trocando passes pelo meio. E o Coritiba cerrou suas apostas nos contra-ataques.

Dessa forma, o Athletico começou melhor, fazendo o adversário recuar todo para o campo de defesa. Depois, chegou a levar alguns sustos. Mas teve a oportunidade de marcar em um chute venenoso de Wellington.

O segundo tempo começou com Vitinho no lugar de Bissoli, que teve que deixar a partida, sentindo a coxa. E com um susto para a torcida rubro-negra. Mas Santos se agigantou em frente ao atacante alviverde, livre dentro da área.

O Athletico melhorou na sequência. A defesa coxa-branca evitou no último instante uma finalização de Carlos Eduardo. Nikão conseguiu encontrar um espaço para bater de fora da área, exigindo uma boa defesa do goleiro Muralha.

Mas quando parecia que as redes do Caldeirão não encontrariam a bola neste domingo (2), veio a jogada que deu a vitória ao Rubro-Negro. 

Aos 45’, Wellington acertou um passe perfeito para Vitinho na ponta esquerda. O piá do Caju cruzou, a bola desviou na zaga e sobrou para Léo Cittadini. De primeira, ele bateu forte, no canto.