Na persistência

Com direito a um golaço do zagueiro Rodolfo – nos acréscimos –, o Paraná Clube fez a lição de casa e estreou com vitória na Taça Dirceu Krüger: 2×1, no FC Cascavel. “Não desistimos em momento algum. Foi um prêmio à entrega dos jogadores”, disse o técnico Dado Cavalcanti, enaltecendo a postura dos atletas na busca pelo resultado. “Sabíamos que seria difícil. O Cascavel foi o melhor time da primeira fase. É uma vitória para ser valorizada”, destacou.

O Paraná deu a sensação que chegaria ao resultado com facilidade. Logo no primeiro minuto, Caio Rangel ficou com a sobra de um escanteio, levou no fundo e rolou para o tiro certeiro de Rodolfo: 1×0. Só que logo depois, Caio Rangel sentiu uma lesão muscular, obrigando Dado Cavalcanti a mexer no time. Juninho entrou na extrema esquerda. Para piorar, o Cascavel empatou aos 10 minutos, em jogada de Lucas Tocantins, que tocou na saída de Alisson.

Apesar da ducha fria, o Tricolor seguiu melhor no jogo e criou boas chances para marcar, com Jenison, Andrey e Juninho. Numa delas, Juninho escapou livre pela esquerda, mas o árbitro não deu a vantagem, marcando falta para o Paraná e parando a jogada. Na etapa final, o Cascavel voltou com uma marcação mais coesa, dificultando as ações ofensivas do time de Dado. O treinador tentou mudar a dinâmica de jogo com as entradas de Jean Lucas e Higor Leite.

A estratégia deu certo e o Paraná conseguiu chegar com Jenison e o próprio Jean Lucas. Porém, o jogo só se definiu aos 46 minutos. Após cobrança de escanteio, a zaga do Cascavel tirou. A bola sobrou para Juninho, que lançou para a área. Rodolfo dominou no peito e, de voleio, mandou pra rede, garantindo a vitória paranista: 2×1, na Vila. Na próxima rodada, o Tricolor vai a Paranaguá, onde encara o Rio Branco.