O presidente Jair Bolsonaro afirmou em entrevista à agência de notícias Bloomberg, em Davos (Suíça), que se o senador eleito Flávio Bolsonaro errou e isso for provado, ele terá que pagar pelos atos. A agência de notícias destacou que a investigação sobre o filho do presidente pode minar a agenda anticorrupção de Bolsonaro.

Flávio Bolsonaro é investigado pela Justiça desde que o Conselho de Atividades Financeiras (Coaf) apontou movimentações atípicas na conta bancária do ex-assessor de Flávio, Fabrício Queiroz, no valor de R$ 1,2 milhão. Segundo o Coaf, Queiroz movimentou R$ 7 milhões em três anos.

[themoneytizer id=”21651-2″]

 

O Conselho ainda encontrou 48 depósitos em dinheiro vivo no valor de R$ 2 mil na conta bancária de Flávio Bolsonaro entre junho e julho de 2017. O senador eleito afirma que o montante é referente à parte da venda de um apartamento nas Laranjeiras, no Rio de Janeiro.

Nesta semana, após operação do Ministério Público do Rio, também veio à tona a informação de que Flávio Bolsonaro empregava a esposa e a filha do ex-capitão da PM Adriano Magalhães da Nóbrega, apontado como chefe da milícia de Rio das Pedras, no Rio de Janeiro.