Uma a uma, as pedras de paralelepípedos estão sendo assentadas e parte da Rua Voluntários da Pátria, no Centro, começa ganhar nova forma, de uma rua mais bonita, amigável para pedestres e vantajosa para comerciantes.

A repaginação da via integra as obras do Rosto da Cidade, da Prefeitura de Curitiba, que prevê a revitalização de fachadas de prédios e locais históricos da capital.

A frente de obras está concentrada na quadra entre a Praça Rui Barbosa e a Rua Emiliano Perneta. Ali, a Secretaria Municipal de Obras Públicas concluiu toda a nova galeria de água das chuvas, 90% do pavimento da rua.

“Vai ficar nota mil, muito melhor para os pedestres e para os comerciantes”, disse Sid Kremer, aposentado que mora na região.

Na segunda-feira (26/8) as equipes começam a trabalhar nas calçadas, que ficarão mais largas, com 1,20 metro, com faixa de acessibilidade e no mesmo nível da rua.

“Achei ótimo tirar o lugar dos carros para o pedestre, para o comércio é muito bom. Acho até que poderia ser a rua inteira um grande calçadão”, avalia Juliana de Matos, gerente de uma loja de calçados em frente à rua em obras.

A fiação aérea também irá desaparecer e com ela os postes enormes de concreto que focam a luz na via de carros. A fiação será subterrânea e a iluminação com postes especiais com luminárias LED para iluminar a passagem dos pedestres. 

Bancos e arborização nova completam o pacote de revitalização da via.

Trabalho artesanal e criterioso

Assim que terminar a primeira etapa de obras, essa parte será liberada e máquinas e funcionários avançarão para o trecho até Praça Rui Barbosa, segunda e última etapa da obra, prevista para acabar em novembro próximo.

Boa parte do trabalho de revitalização da Rua Voluntários da Pátria é artesanal.

“Os blocos de paralelepípedos precisam ser colocados um por um, assentados e nivelados. Se não ficar bom, é preciso fazer novamente até acertar”, explica Elmar Pazinato, encarregado da obra.

O trecho da “nova” Voluntários da Pátria é um corredor de comércio e de pedestres que circulam entre o calçadão da Rua XV de Novembro e a Praça Rui Barbosa, que abriga um terminal de transporte coletivo a céu aberto.