Os ônibus da capital seguem circulando com uma ocupação máxima de passageiros de 50%, durante a bandeira vermelha de alerta contra covid-19.  Nos terminais, os ônibus estão saindo com 30% de lotação, para chegar até 50% no itinerário.

A Urbanização de Curitiba (Urbs) monitora o movimento do sistema e poderá colocar carros extras se for necessário. O presidente da Urbs, Ogeny Pedro Maia Neto, ressalta, no entanto, que ocupação de 50% não significa que os ônibus só circularão com passageiros sentados. Em um ônibus biarticulado, por exemplo, a ocupação de 50% equivale a 126 passageiros no veículo (53 sentados e 73 em pé). Nos articulados, são 100 passageiros (40 nos bancos e 60 em pé).

Frota mantida

Com a bandeira vermelha, que amplia as restrições a serviços não essenciais, a circulação de pessoas deve cair e, como consequência, o número de passageiros deve ter redução. Apesar da expectativa de queda no número de usuários, a Urbs mantém a frota, de cerca de mil veículos (80% do total) inalterada. As linhas operam com 100% nos horários de pico.

Antes da bandeira vermelha, o movimento diário estava em cerca de 350 mil passageiros por dia. A media tem sido agora de 247 mil passageiros, mas a frota configurada para atender até 200 mil usuários a mais – 450 mil.

Outras mudanças

A Linha Turismo, administrada pela Urbs, segue suspensa por conta do fechamento dos principais pontos turísticos da cidade. Mas estão mantidas as Linhas Expresso Saúde e Vacina-Parque Barigui. As atividades de fiscalização, vistoria do transporte coletivo, limpeza e manutenção são executadas normalmente.

Os atendimentos presenciais na Urbs e nas Ruas da Cidadania também ficam suspensos. Os usuários terão que remarcar os agendamentos a partir do fim do período de vigência do decreto.