A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) investiga, até a tarde desta sexta-feira (6/3), dezesseis casos suspeitos de infecção humana pelo novo coronavírus (COVID-19) em Curitiba, nove deles são novos. 

Quatro dos onze casos divulgados pela SMS na última quinta-feira (5/3), foram descartados por exames laboratoriais. Deles três são homens com idades de 41 anos, 42 anos e 20 anos a última uma mulher de 62 anos. Os outros sete seguem aguardando resultado de exames.

Entre os novos casos duas mulheres moradoras de cidades da região metropolitana de Curitiba, mas que foram atendidas em serviços de saúde da rede privada na capital, uma de 48 anos, com registro de passagem pela Itália – onde já se considera estado de epidemia da nova doença – e outra de 39 anos que esteve em viagem recente para os Estados Unidos – país com registro de circulação local do vírus.

Outras três mulheres que registraram viagens recentes para países europeus com circulação da doença, uma mulher de 27 anos que esteve na Itália, uma de 23 anos que esteve na Espanha e outra de 18 anos que viajou para a França.

Estados Unidos da América (EUA)

Cinco dos nove casos em investigação registraram passagem por regiões dos Estados Unidos – país que já confirmou mais de cem casos da doença. Um deles a mulher moradora da região metropolitana (mencionada acima). Dois casos são crianças, um menino de 6 anos, uma menina com idade menor de 1 ano e uma menina adolescente de 11 anos. 

O último caso é um homem de 31 anos que teve contato próximo com um morador da cidade de São Paulo – um familiar que esteve nos EUA – e que está em investigação como caso suspeito.

Todos os novos casos informados foram atendidos em serviços de saúde da rede privada, com sintomas leves de infecções respiratórias – febre, tosse, coriza, dor de garganta, dor no corpo, dor de cabeça. 

Isolamento Voluntário

As dezesseis pessoas seguem em isolamento domiciliar voluntário enquanto aguardam o resultado dos exames. Em apenas um dos casos, o homem de 42 anos, houve necessidade de internamento por infecção pulmonar, mas ele já recebeu alta.

A médica infectologista da SMS Marion Burger explica que o internamento só é indicado para casos com complicações, como por exemplo, infecção pulmonar. Mas ela alerta que é essencial manter o isolamento domiciliar, quando indicado.

“Enquanto aguardam o resultado é importante que as pessoas sigam as orientações. Mesmo que a infecção não seja pelo coronavírus, a medida evita a contaminação de outras pessoas e auxilia no processo de recuperação”, orienta Marion.

Os pacientes de casos suspeitos são monitorados diariamente por telefone para acompanhamento da evolução do quadro de saúde.

A secretaria solicita ainda que eles informem a relação das pessoas com quem tiveram contato próximo desde o início dos sintomas. Elas também serão monitoradas.