O Athletico, conhecendo o estilo de jogo do adversário, adiantou a marcação a conseguiu a primeira grande chance aos três minutos. Wellington roubou a bola, que sobrou para Marco Ruben. Ele finalizou na trave de Rodolfo.

Outra grande chance aos dez minutos. Após boa jogada pela direita, Rony ganhou dentro da área e bateu cruzado. A bola tocou na defesa e saiu em escanteio.

O gol estava próximo, e saiu aos 19 minutos. Bruno Guimarães lançou Rony, na velocidade. Ele cruzou na área, na medida para Lucho González, que entrou sozinho entre os zagueiros para testar para o fundo das redes! 1 a 0!

Aos 24’, Wellington roubou a bola na saída do adversário e entregou para Rony, que finalizou de fora da área. A bola passou por cima do gol.

Aos 30’, Bruno Guimarães fez ótimo lançamento para Marco Ruben, que finalizou rasteiro. O goleiro fez boa defesa.

O Rubro-Negro ficou com um homem a mais aos 32 minutos. Airton errou a saída de bola e Bruno Guimarães roubou a bola. Na jogada, o volante do Fluminense deu um carrinho no tornozelo do camisa 39. Ele já tinha o cartão amarelo e recebeu o segundo. Com auxilio do VAR, o árbitro da partida retirou o cartão e aplicou o vermelho direto para Airton.

O Furacão aproveitou a ampliou a vantagem aos 37’. Márcio Azevedo fez um cruzamento perfeito para Rony, que marcou de cabeça o segundo gol athleticano. 2 a 0!

Quase saiu um golaço no final do primeiro tempo. Rony tocou para Lucho, que fez o corta-luz na meia-lua da grande área. Guimarães dominou e buscou o canto num chute colocado. Rodolfo espalmou para escanteio.

Rubro-Negro administra o jogo e chega ao terceiro gol

Na segunda etapa, o Fluminense não se expôs como na primeira. O Furacão não forçou as jogadas de velocidade e o jogo ficou morno. A primeira chance veio apenas aos 16 minutos, com Nikão. Ele arriscou de fora, com perigo, mas por cima da meta.

João Pedro finalizou pelo lado do Fluminense, aos 22 minutos. A batida de fora da área foi forte, mas Santos defendeu com segurança.

A resposta veio no minuto seguinte. O contra-ataque foi puxado por Márcio Azevedo, que entregou para o Nikão. O camisa 11 tocou por cima de Rodolfo, mas a zaga apareceu para afastar.

O Furacão ampliou o placar aos 38 minutos da etapa final. Tomás Andrade tocou para Marcelo, na direita. O camisa 10 trouxe para o meio e bateu forte, com a perna esquerda. A bola desviou no meio da área e entrou. 3 a 0!