Oito dias. Foi o tempo que durou no Jardim Botânico uma das três cadeiras de rodas colocadas pela Prefeitura e pelo Instituto Pró-Cidadania (IPCC) para uso gratuito por pessoas com deficiência que visitam o local. A cadeira foi furtada do Centro de Atendimento ao Turista (CAT), inaugurado no dia 16 de março.

A oferta das cadeiras foi anunciada no mesmo dia da inauguração, como fruto de uma parceria com o IPCC. No dia 24 de março, uma servidora do Centro deu falta de uma das cadeiras. Não foi possível identificar o autor do furto, um vez que a retirada da cadeira não foi autorizada pela secretaria, mediante apresentação de documento, como é norma no CAT. Alguém simplesmente chegou no local e pegou a cadeira sem autorização.

A secretária municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Mirella Prosdócimo, lembrou que a oferta de cadeiras de rodas no Jardim Botânico é um projeto piloto que a Prefeitura pretende estender para outros pontos turísticos. “É muito triste que isso ocorra. Além de atingir o patrimônio público, o furto da cadeira de rodas prejudica a inclusão de um público que deve ter o mesmo direito de acesso aos nossos pontos turísticos que qualquer outra pessoa”, afirmou.