Aos 84 anos, Ivone Maria da Rosa Santos é uma mulher ativa. Aposentada, trabalhou anos como servente da rede estadual de ensino e hoje aproveita os dias fazendo ioga, ginástica, além de participar de rodas de conversa e de oficinas oferecidas pelo Centro de Assistência Social Divina Misericórdia. Localizada na CIC, a instituição é parceira da Fundação de Ação Social (FAS) para oferta do serviço de convivência e fortalecimento de vínculos para crianças, adolescentes e idosos.

“Faço ioga na segunda-feira, ginástica na terça e participo das rodas de conversa que acontecem uma vez por semana”, conta a Ivone, que tem duas filhas, duas netas e dois bisnetos e mora no bairro Fazendinha. Ela também não perde as festas e cursos oferecidos no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) Vila Sandra, na CIC.

O último curso que fez foi o Inclusão Digital – Smartphone para Idosos, ofertado gratuitamente pelo programa Liceu de Ofícios, ainda antes da pandemia da covid-19. “Fiz para aprender a mexer no celular”, conta ela.

Nem mesmo o isolamento imposto durante a pandemia fez Ivone ficar para parada. Sem poder sair, uma vez por semana ela recebia em casa uma personal trainer contratada pela neta, que a orientava nos exercícios físicos.

Campanha para valorização

Ivone é o retrato dos idosos do século 21 e faz parte da nova campanha lançada pelo Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa (CMDPI), pela Prefeitura de Curitiba e pela Fundação de Ação Social (FAS), nesta terça-feira (26/7), quando se comemora o Dia dos Avós.

A campanha busca a valorização do idoso e faz parte de uma ação ainda maior que terá desdobramentos com novos personagens em 21 de setembro, Dia Mundial da Doença de Alzheimer e Dia Nacional de Conscientização da Doença de Alzheimer, e em 1 de outubro, Dia Internacional das Pessoas Idosas e Dia Nacional do Idoso.

Com palavras como amabilidade, afinidade, atividade e curiosidade, a campanha quer mostrar que a idade é só um detalhe e que a troca de experiências entre jovens e idosos pode proporcionar mais qualidade de vida para todos os envolvidos.

“Com a campanha queremos valorizar a pessoa idosa, pois ela é cidadã de direitos, direitos estes que precisam ser garantidos por todos e para todos nas diferentes fases da vida”, explica o presidente do CMDPI, José Araújo da Silva.

Onde ver

Acompanhada dos bisnetos Eric, de 1 ano e meio, e Lívia, 3 anos, Ivone poderá ser vista em cartazes nos pontos de ônibus da cidade, a partir desta terça-feira. A campanha pode ser conhecida ainda nas redes sociais e nas TVs do transporte público.

Em 2020, Curitiba contava com 350 mil pessoas idosas, de acordo com a Pesquisa Nacional Por Amostra em Domicílio (Pnad). O número é 76% maior do que o registrado em 2010.