Seis meses depois da inauguração, o Cine Passeio comemora os grandes números alcançados. Com as estreias desta semana, as duas novas salas públicas de cinema de rua da cidade, os Cine Ritz e Luz, ultrapassaram a marca de cem filmes exibidos em sessões pagas na programação e 39 mil tickets vendidos. A média é de quatro filmes novos e 1,3 mil tickets por semana.

“O grande público que o Cine Passeio recebeu em seis meses de atividades, é um indicativo de que a memória do cinema de rua ainda permanece e as novas gerações estão descobrindo como um ponto de encontro, revivendo os velhos tempos da Cinelândia de Curitiba”, afirmou a presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Ana Cristina de Castro.

Os filmes contabilizados foram exibidos nas duas salas principais, seja nas sessões regulares de terça a domingo ou nas sessões especiais como as matinês infantis de domingo, e a sessão da meia-noite às sextas. Porém, as sessões gratuitas e as mostras temáticas no Espaço Valencio Xavier não fazem parte dessa soma, o que torna ainda mais surpreendente o número e a abrangente a conexão com o espaço.

“Que o novo espaço cultural atrairia interesse já era esperado, mas superou a nossa expectativa. Nos preparamos para entrar em operação com fluxo grande, mas os resultados estão além do esperado e crescendo, criamos um público cativo que apoia e divulga o espaço”, comemora Marino Galvão, diretor executivo do Instituto Curitiba de Arte e Cultura (ICAC), instituição que administra o Cine Passeio.

Programação

Em cartaz durante 11 semanas, com salas cheias até o último dia, o campeão de audiência foi o drama espanhol mais recente do diretor Pedro Almodóvar, Dor e Glória. Organizada pelos curadores do Cine Passeio, Marcos Jorge e Marden Machado, a programação contou com outros grandes destaques, como o Rocketman e Bacurau.

Dos cem filmes em cartaz neste semestre, 1/3 foram produções nacionais. Dar destaque aos filmes brasileiros, garantindo pelo menos um por semana foi um dos principais compromissos que os curadores tiveram, garantiu Marden Machado.
“Nos primeiros meses sentimos a reação do público, para buscar o perfil. Assim conseguimos ajustar o programa idealizado por nós com a expectativa do público. Agora, após um ajuste fino conseguimos obter sucesso nessa seara, pautando sempre a diversidade”, disse o curador.

Os projetos constantes também são sucesso de público. O Cine da Meia-Noite é atração garantida para os amantes do terror. As sessões têm atraído grande público ao exibir novas produções do cinema do medo e suspense. 

As crianças têm horário e sessões especiais, com as matinês de domingo que apresentam o cinema de rua a um público pouco comum. Acostumadas às salas em shopping, o Cine Passeio conquistou os pequenos principalmente nas férias, com sessões infantis todos os dias e aos domingos.

Mostra

Além das sessões diárias, outros encontros temáticos ampliaram o repertório dos filmes voltados a estudantes e amantes da sétima arte. Da maior relevância foi a 1ª Mostra Curitiba de Cinema organizada pelo espaço. O evento surgiu para homenagear o cinema paranaense e curitibano, apresentando títulos com a cidade como cenário. 

Masterclasses 

Com um semestre de atividade do complexo cultural, o audiovisual foi apreciado não só como um produto acabado, mas discutido e conversado. 

Assim, a experiência cinematográfica não ficou limitada somente à sala de cinema. Foram diversos eventos relacionados ao audiovisual com renomados profissionais, como Bráulio Mantovani, Cláudia da Natividade, Alberto Flaksman, Paulo Sacramento, Bruno Barreto, Sylvio Back e Carolina Kotscho.