Catorze crianças e adolescentes de diferentes bairros da cidade se encontram no quartel do Boqueirão, duas vezes por semana, para participar de uma espécie de caça ao tesouro no bosque do local. É a corrida de orientação, esporte praticado na natureza. Em Curitiba esta é uma das modalidades oferecidas gratuitamente pelo programa Escola+Esporte=10, da Prefeitura de Curitiba, e também para a comunidade por meio do portal Curitiba em Movimento, da Secretaria Municipal de Esporte, Lazer e Juventude (Smelj)

Formado por estudantes de 10 a 16 anos, o grupo reúne praticantes e atletas medalhistas e é coordenado pela professora de Educação Física e campeã sul-americana Maria Cristina Fernandes. Há 16 anos orientando novos talentos, ela explica o interesse despertado pela atividade, praticada na pista permanente de orientação da unidade militar – a primeira da cidade, localizada em meio a uma área de bosque atravessada por um curso de água.

“É uma prática inclusiva, que acolhe pessoas independente da idade, do gênero ou condicionamento físico, mas que desafia a se superar no desempenho e na agilidade de raciocínio para encontrar o maior número de marcos no menor tempo possível”, resume Maria Cristina, uma apaixonada pelo que faz.

O futebol dos nórdicos

O esporte consiste em interpretar mapas e usar a bússola – instrumentos indispensáveis para se deslocar pelo terreno e localizar marcos espalhados em meio à vegetação, em locais de diferentes graus de dificuldade. Antes de encontrar os pontos de controle indicados no mapa, os corredores precisam definir as melhores rotas até eles. “É o futebol dos nórdicos”, resume Maria Cristina, comparando a popularidade da orientação na Suécia, o país de origem do esporte, e no entorno.

Chegando em cada ponto, é preciso registrar a localização, por meio de marcas de picote sobre uma folha de papel específica. Se dá melhor o competidor que localiza os pontos no menor tempo possível, o que exige domínio da interpretação do mapa, preparo físico e raciocínio rápido

Jovens talentos

São as mesmas exigências tanto para Arthur Rennam de Oliveira, de 10 anos, o mais novo do grupo, ou para Virgílio Marsola da Costa, de 16. Unidos, eles têm entre suas referências a colega de grupo Rayssa Camargo Sintz. Com 14 anos de idade, ela corre há 4 anos e já coleciona prêmios nas categorias sprint e floresta – como o conquistado neste fim de semana, durante o Circuito Paranaense de Orientação, disputado em Cascavel.

Rayssa é irmã de outro atleta – Leonardo Fernando Camargo Sintz, de 16 anos, que descobriu o esporte um pouco depois da irmã e foi igualmente incentivado pelo trabalho de divulgação feito por Maria Cristina nos colégios onde eles estudam. “Agora é pensar nas próximas provas”, diz Leonardo, que também trouxe medalha de Cascavel e já pensa na prova de Olímpia, em São Paulo.

Serviço:

Corrida de orientação: como começar a praticar

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas através do site Curitiba em Movimento de acordo com a disponibilidade de vagas.

Turmas mistas

A partir de 10 anos

Treino no Quartel do Boqueirão

(Av. Marechal Floriano, 9190, logo após a Rua da Cidadania do Boqueirão)

Mais informações com o Núcleo Regional da Secretaria Municipal de Esporte, Lazer e Juventude (Smelj), pelo 41 3313-5523