Curitiba ganhou mais um museu, o Novo Museu Egípcio Rei Menino de Ouro: Tutankhamon foi inaugurado neste sábado (7/9), pela ordem Rosa Cruz – Amorc, no bairro Bacacheri. O prefeito Rafael Greca participou da inauguração com o arqueólogo Zahi Hawass, apresentador do programa Caçador de Múmias, no  History  Channel.

O Novo Museu, que fica no bairro Bacaheri, vai manter a exposição permanente. O espaço fica na Rua Nicaraguá, em frente ao Museu Egípcio da Ordem Rosa Cruz.  

“Fiquei emocionado em saber que o túmulo do Rei Menino, Tutankhamon, está em réplica aqui em Curitiba. Os museus são casas do conhecimento, da cultura, da sabedoria”, disse o prefeito.

Especialista na vida do jovem Rei Tut, que governou o Egito entre os anos 1333 a 1323 a. C, Hawass falou sobre a colaboração no projeto do Museu Tutankhamon.

“Esse museu é absolutamente peculiar e único. Todos os artefatos foram transformados em cópias exatas, autorizadas pelo Ministério de Antiguidades do Egito. Que as crianças das escolas de Curitiba possam ter a oportunidade de conhecer mais sobre a história desse Rei Menino – Tutankhamon, e que todos se lembrem das descobertas que foram feitas”, falou o arqueólogo.

O museu é também uma parceria com o Laboratório Rosso, responsável por desenvolver o projeto museológico, museográfico, o design gráfico, além da produção de materiais audiovisuais.

Mais do que uma visita, o público do Novo Museu fará uma viagem no tempo desde a infância de um rei egípcio até a religião e vida após a morte e sepultamento.

Entre as peças em exposição está a réplica da múmia do Rei Tut, o carro de guerra ou biga, que também era usada por famílias privilegiadas. Há sarcófagos e uma réplica  da tumba que foi a última morada do faraó. 

Junto com o Museu Egípcio e o Bosque Rosa Cruz, o Novo Museu Rei Menino de Ouro: Tutankhamon forma o maior complexo de arte e cultura egípcia no país e na América Latina.

A médica e professora da Universidade Federal do Paraná, Adriane Celli foi com a família visitar o Novo Museu. “Eu conheci há pouco tempo o Museu Egípcio e me encantei e, conhecendo a história do Faraó Tutankhamon, não poderia deixar de conhecer este Museu”, falou.

O bacharel em História Jean Carlo Pelanda também foi ao Museu Rei Menino, no primeiro dia. “É mais um ponto turístico e cultural para que as pessoas possam visitar e conhecer. Isso enriquece a cidade”, disse.

Após o descerramento da placa inaugural, o prefeito  Greca e o professor Hawass visitaram o museu, acompanhados do Imperator Frater Cláudio Mazzucco; do Grande Mestre da Jurisdição de Língua Portuguesa, Frater Hélio Moraes e Marques; do Cônsul do Egito no Brail, Mohamed Elkhatib e do historiador do Complexo Egípcio Rosa Cruz, Ewerson Dubiela.