14.8 C
Curitiba
segunda-feira, 20 maio 2024

Curitiba instala estação hidrológica para prevenir desastres e antecipar alertas

A partir de agora Curitiba conta com uma estação hidrológica que tem como objetivo prevenir desastres e antecipar alertas relacionados a eventos climáticos. O equipamento, instalado no Córrego Bigorrilho, no cruzamento das ruas Fernando Moreira e Alameda Augusto Stellfeld, no Centro, irá medir o nível do rio por meio de um sensor ultrassônico e também registrar a precipitação acumulada da chuva utilizando um pluviômetro.

A estrutura irá se somar às outras dez estações meteorológicas adquiridas pelo município, implantadas nas dez regionais e que atuam no monitoramento climático da cidade formando o Sistema de Alerta e Alarme de Prevenção de Desastres (Sisaa Prev) de Curitiba.

“Vamos monitorar o rio, orientar nossas equipes e antecipar os alertas para a população, prevenindo desastres e minimizando danos e prejuízos”, disse o secretário de Defesa Social e Trânsito, Péricles de Matos.

Nelson Ribeiro, coordenador da Defesa Civil de Curitiba, explica que a escolha do local para instalação da primeira estação foi baseada no histórico de alagamentos na região central da cidade, bem como na posição estratégica do Córrego Bigorrilho, cujas águas influenciam diretamente o nível do Rio Belém, que corta uma parte significativa da cidade.

“Estudamos pontos estratégicos da cidade para a implantação das estações hidrológicas. A previsão é que até o fim do ano outros três equipamentos sejam adquiridos para serem instalados em locais também com histórico de alagamentos”, explicou Ribeiro.

Funcionalidades

A plataforma de coletas de dados hidrológicos conta com sensor ultrassônico, medição da precipitação pluviométrica, sistema de alimentação por captação de energia solar, sistema de transmissão de dados por rede de celulares (GPRS), datalogger para processamento e armazenamento dos dados adquiridos, além de conexão e compatibilidade com o software já existente no município.

A compra feita por licitação pública saiu por R$ 44.990. Parte do recurso é oriundo de emendas parlamentares e o restante foi custeado pelo município.

Relacionados

EDIÇÃO IMPRESSA Nº 118 | MAIO/2024

spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS