19.4 C
Curitiba
sábado, 18 maio 2024

Curitiba terá 3,2 km de ciclovias revitalizadas na região do Vale do Pinhão

A região do Vale do Pinhão, no bairro Rebouças, vai ganhar 3,2 km de ciclovias revitalizadas. A autorização para o início do processo licitatório para a contratação das obras foi assinada nesta sexta-feira (24/3) pelo prefeito de Curitiba, Rafael Greca, e o vice-prefeito e secretário de Estado das Cidades, Eduardo Pimentel, no último dia do Smart City Expo Curitiba 2023, no espaço Smart Plaza Vale do Pinhão.

O investimento em ciclomobilidade para a cidade é resultado de uma parceria firmada entre a Prefeitura e o Governo do Paraná.

O investimento na requalificação das ciclovias será de quase R$ 1,9 milhão, sendo R$ 1,2 milhão a fundo perdido da Secretaria de Estado das Cidades e outros R$ 657 mil de contrapartida municipal. A partir de projetos elaborados pela Superintendência de Trânsito (Setran), as obras serão licitadas e coordenadas pela Secretaria Municipal de Obras Públicas (Smop).

“As ciclovias nesta região são importantes para que a gurizada chegue ao Vale do Pinhão, vá ao campus da Fiep, ao Teatro do Paiol e se ligue à rede que hoje tem 200 km de ciclovias, mas será dobrada para 400 km até o fim do ano que vem, incluindo também ciclofaixas e outras vias para bicicletas”, disse Greca.

Serão recuperadas as estruturas cicloviárias nas ruas Conselheiro Laurindo (entre Dario Lopes dos Santos e Almirante Gonçalves); Rua João Negrão (entre Almirante Gonçalves e Rua Jóquei Clube); Cyro Vellozo (entre Rua Jóquei Clube e Professora Regina Casagrande Marinoni);  Francisco Nunes (entre João Parolin e  Aluizio Finzetto) e Aluizio Finzetto (entre Rua João Parolin e Avenida Marechal Floriano Peixoto).

Ciclistas

A revitalização inclui o alargamento da estrutura cicloviária, requalificação do pavimento em asfalto, melhorias na iluminação e na sinalização. Os serviços vão assegurar mais segurança e conforto para ciclistas.

O vice-prefeito e secretário de Estado das Cidades, Eduardo Pimentel, destacou a importância da formalização da parceria durante o evento que, entre outras inovações, discutiu a integração da mobilidade nas cidades, com a adoção de experiências como o ônibus elétrico, ônibus a gás natural veicular (GNV), táxis elétricos.

“As ciclovias são importantes estruturas para a mobilidade na cidade e a integração entre modais é fundamental para deslocamentos com qualidade, razão da importância desse investimento em 3,2 km de ciclovias para o cidadão que trabalha na região do bairro Rebouças possa fazer o seu ir e vir e para que o esportista tenha seu lazer”, disse Pimentel.  

Mobilidade ativa

A Prefeitura apoia o uso da bicicleta como meio de transporte e investe na mobilidade ativa com novas estruturas cicloviárias na cidade.

“Além dos aspectos de mobilidade, os projetos cicloviários promovem também a requalificação das ruas onde são implantados”, diz o secretário municipal de Obras Públicas, Rodrigo Araújo Rodrigues.

A cidade tem um Plano Cicloviário feito pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) com a Superintendência de Trânsito (Setran). Atualmente, a cidade conta com uma malha cicloviária de 261,9 km, entre ciclovias, ciclofaixas, ciclorrotas e vias compartilhadas.

“Com o movimento do Vale do Pinhão, Curitiba se reinventa também com um legado de projetos e obras para a priorização do pedestre e da mobilidade limpa por toda a cidade”, afirma a presidente da Agência Curitiba de desenvolvimento e Inovação, Cris Alessi.

Também participaram da formalização da parceria o presidente da Urbs, Ogeny Pedro Maia Neto; o secretário do Governo Municipal e presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), Luiz Fernando Jamur; a deputada estadual Márcia Huçulak; os vereadores Tico Kuzma, Serginho do Posto, Marcelo Fachinello, Amália Tortato e Rodrigo Reis; e o CEO e fundador do iCites, Beto Marcelino.

Relacionados

EDIÇÃO IMPRESSA Nº 117 | ABRIL/2024

spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS