26 C
Curitiba
terça-feira, 16 abril 2024

Curitiba terá 500 bicicletas compartilhadas e 50 estações do serviço

O prefeito Rafael Greca anunciou a primeira empresa habilitada a prestar o serviço de bicicletas compartilhadas em Curitiba, a Tembici, nesta quinta-feira (22/9), Dia Mundial sem Carro, no estacionamento da Prefeitura. Serão 50 estações, em locais que ainda serão definidos, e 500 bicicletas disponíveis nos principais eixos cicloviários da cidade.

O anúncio faz parte da ação Curitiba Viva Bem, da Semana Nacional do Trânsito e do Setembro da Mobilidade, um estímulo da Prefeitura à intermodalidade, com foco no pedestre e na adoção de tecnologias limpas de transporte.

“Esse é um momento de fundação de uma nova mentalidade, de abandonar a ideia de andar somente de carro”, disse Greca

“A prioridade na cidade é de quem anda a pé, de bike, de transporte coletivo e, por último, de transporte individual”, ressaltou o prefeito. Ele comemorou: “Viva Curitiba, que agora tem ‘bici’.”

Greca destacou também a presença da professora e influenciadora digital Viviane Mendonça, que não tem carro e faz seus deslocamentos de bike por toda a cidade. “Viviane é um exemplo de curitibinha que vai em direção ao futuro”, elogiou o prefeito.

Malha cicloviária

Curitiba conta com uma malha cicloviária de 252,1 quilômetros, entre ciclovias, ciclofaixas, ciclorrotas e vias compartilhadas. Até 2025, a cidade terá mais de 400 quilômetros de estrutura cicloviária espalhada pelos bairros.

A empresa Tembici foi a primeira a apresentar proposta no chamamento público, iniciado em maio pela Prefeitura e que prevê a implantação, instalação, manutenção e operação de sistemas de compartilhamento de bicicletas.

“O projeto em Curitiba é mais uma importante etapa do nosso propósito de transformar as cidades e a forma como as pessoas se deslocam. Temos certeza de que as bikes se tornarão parte da rotina dos curitibanos, em deslocamentos mais eficientes, econômicos e sustentáveis”, conta Juliana Minorello, diretora de Relações Governamentais e Advocacy da Tembici.

A empresa é líder em micromobilidade na América Latina e conta com 18 mil bicicletas nas principais capitais brasileiras, como Rio de Janeiro, São Paulo, Recife, Salvador, Brasília e Porto Alegre, além de Santiago no Chile e Buenos Aires na Argentina.

Segundo o secretário do Governo Municipal e presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), Luiz Fernando Jamur, a iniciativa está inserida no Plano de Estrutura Cicloviária de Curitiba e alinhada aos demais projetos de mobilidade ativa, como o Caminhar Melhor. “Essa é mais uma etapa cumprida do plano de mobilidade da cidade”, afirmou Jamur.

Após o anúncio, o vice-prefeito Eduardo Pimentel, com a Família Folhas, testou e deu uma volta com as novas bikes.

Como vai funcionar

O sistema de compartilhamento de bikes com estação irá funcionar 24h, sete dias por semana, permitindo o acesso a informações, o cadastramento de usuários, retirada e devolução das bikes, de forma ininterrupta.

Para que possam utilizar as bicicletas, os usuários terão que fazer um cadastro e adquirir um plano pelo aplicativo de celular que será disponibilizado pela Tembici. A empresa oferecerá assinatura variadas, como viagem única, plano lazer, plano mensal e plano anual, para contemplar usuários eventuais e habituais. Os preços ainda estão sendo definidos pela empresa e vão depender do número de patrocinadores.

Após o uso, a bike precisará ser devolvida obrigatoriamente em uma das estações.

A fiscalização do serviço será de responsabilidade da Secretaria Municipal de Defesa Social e Trânsito, através da Superintendência de Trânsito (Setran).

Segundo a superintendente de Trânsito de Curitiba, Rosângela Battistella, o edital de chamamento público segue aberto e outras empresas interessadas podem iniciar o processo de credenciamento a qualquer momento.

Equipamentos

As bicicletas disponíveis nas estações poderão ser convencionais ou elétricas e devem estar em conformidade com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e suas Resoluções sobre os critérios e equipamentos obrigatórios.

No caso das bicicletas elétricas, elas devem atingir a velocidade máxima de 25 km/h e possuir indicador de velocidade, campainha, sinalização noturna dianteira, traseira e lateral, espelhos retrovisores em ambos os lados e pneus em condições de segurança.

Implantação

Em até 30 dias, a Tembici fará a apresentação de um protótipo de estação com quatro bicicletas, em local a ser definido pela SMDT. O equipamento então passará por uma avaliação de uma comissão formada por técnicos da Setran e do Ippuc.

Após a aprovação da estação-teste e do licenciamento dos equipamentos, a empresa terá 60 dias para disponibilizar 70% da frota, e mais 30 dias para atingir 100% da frota. Ou seja, após aprovado o protótipo, a Tembici terá 90 dias para disponibilizar as 500 bikes.

A localização das estações que irão abrigar os equipamentos está sendo discutida com a Prefeitura de Curitiba. Os locais precisam estar adequados com os espaços disponíveis nas vias públicas, logradouros da cidade e nos principais eixos cicloviários, com maior enfoque na região central.

Relacionados

EDIÇÃO IMPRESSA Nº 116 | MARÇO/2024

spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS