Após o trabalho intenso das equipes da Prefeitura ao longo da noite de quarta-feira (18/9) e toda esta quinta-feira (19/9), a Defesa Civil de Curitiba continua monitorando a situação dos bairros de Curitiba e prestando apoio às administrações regionais após as chuvas que atingem a cidade desde a tarde de quarta-feira (18/9). 

Equipes continuam entregando lona para as residências atingidas. Já foram distribuídos 82 rolos de lona (cada um com 4m x 100m). Não há registro de desabrigados nem de feridos.

O último levantamento da Defesa Civil é de que 340 residências foram destelhadas após serem atingidas por granizo: 200 no Caximba – Vila 29 de outubro, 90 na Vila Calixto – Pinheirinho, 20 na Regional Boa Vista e 30 na Regional de Santa Felicidade.

Segundo balanço da Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil, 1.400 pessoas foram afetadas pela chuva que começou às 18h de quarta-feira. Não houve desabrigados nem desalojados.

No início da manhã desta quinta-feira (19/9) eram cerca de 300 servidores da Prefeitura envolvidos no atendimento às ocorrências das chuvas, das secretarias municipais e das Administrações Regionais da cidade. 

Há 14 equipes de arborização nas ruas de Curitiba desde a noite de quarta-feira para fazer os atendimentos das solicitações relacionadas a quedas de árvores ou galhos em vias públicas. A expectativa é de que até o final do dia desta quinta-feira (19/9) haja desobstrução de todas as ruas. Somente da Secretaria Municipal do Meio Ambiente são cerca de 70 servidores trabalhando nas ruas. A intenção é que até o final da manhã cerca de 60% dos casos estejam atendidos.  

Já estão em andamento trabalhos de retirada das árvores caídas nas ruas Coronel Dulcídio e Gutemberg, no Batel; e da Estrada Guilherme Weigert, no Santa Cândida. São priorizados os casos de obstrução total ou maior de pista, alguns demandam apoio da Companhia Paranaense de Energia Elétrica (Copel) em razão dos fios de alta-tensão.

Foram registradas 52 solicitações de quedas de árvores e galhos grandes pela cidade. 

De acordo com o Simepar, a chuva de quarta-feira (18/9) foi rápida e intensa. A estação do instituto no Jardim das Américas registrou 21,6 milímetros de chuva em apenas 15 minutos, por volta das 19h, num total de 33 milímetros de precipitação atmosférica. As rajadas de vento atingiram 65 km/h.

Trânsito

O desligamento de energia também afetou vários semáforos na cidade. Na manhã desta quinta-feira a Setran registrava 35 semáforos afetados, entre desligados ou em alerta (piscando em amarelo). Os bairros mais afetados são Boa Vista, Bacacheri, Cabral, Mercês e Rebouças.

Ainda são registrados alguns pontos de alagamentos nas vias, os maiores casos são na Avenida Marechal Floriano Peixoto com a João Viana Seiler, no Parolin, no sentido bairro.

Na Coronel Dulcídio, entre a Brasílio Itiberê e a Petit Carneiro, no Água Verde, há bloqueio total de trânsito por conta de alagamento. A opção de desvio é pela Brigadeiro Franco. 

Obras

Por causa das fortes chuvas de quarta-feira (18/9), foram adiados os serviços de revitalização do pavimento em seis pontos da Linha Verde. O trabalho estava programado para começar nesta quinta. 

Educação

Das 185 escolas e 221 Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) da rede municipal de ensino de Curitiba, apenas duas unidades estão fechadas para manutenção devido aos estragos causados pelo temporal.

As unidades com atividades suspensas são o CMEI Mercúrio e Escola Durival de Britto, ambas na regional Cajuru.

Já o CMEI Conjunto Camponesa, na CIC, está com o atendimento parcial nesta quinta-feira (19/9).

A Secretaria Municipal da Educação está prestando suporte às unidades. Equipes de limpeza e das empreiteiras que atendem a área estão mobilizadas desde a noite de quarta-feira (18/9).

Ação Social

As equipes da Fundação de Ação Social (FAS) de Curitiba estão desde a noite de quarta-feira (18/9) atendendo famílias carentes atingidas pelas fortes chuvas. Na Regional Tatuquara 170 famílias foram atendidas entre as 20h e meia-noite. Todos são moradores da Vila 29 de Outubro.

Foram distribuídos 50 colchões e 150 cobertores durante a noite e pela manhã desta quinta foram distribuídos mais 80 colchões e 200 cobertores. Nesta quinta-feira (19/9) também serão distribuídas cestas básicas para os moradores. 

A moradora Vanessa Aparecida da Luz foi atendida pela equipe da FAS com colchão e cobertor. Ela também recebeu lona para cobrir a casa que está em construção e onde mora com o marido e três filhos, de 3, 8 e 11 anos. “Tudo isso chega em uma boa hora. Molhou quase tudo aqui dentro e fiquei com medo de perder minhas coisas”, contou.

O alagoano Elenildo da Silva Pereira também teve o telhado da casa, onde mora com dois irmãos, danificado pelo granizo. Cadeirante, na manhã desta quinta-feira (19/9), ele acompanhou o irmão que tentava consertar parte do telhado, coberto com telhas de fibrocimento. Como a chuva molhou todos os móveis, Pereira recebeu da FAS dois colchões e dois cobertores.

O presidente da FAS, Thiago Ferro, se uniu às equipes no atendimento. Ele percorreu várias ruas do Caximba, principalmente da Vila 29 de Outubro – a mais afetada – para levantamento das necessidades de cada família e entrega das doações.

“Esse atendimento no local, aproxima e traz calma às famílias. Com isso, vendo a situação de cada uma, conseguimos direcionar os recursos corretamente para quem realmente precisa”, explicou.

Em Santa Felicidade, a FAS atendeu cinco famílias atingidas pelas chuvas. A Unidade de Acolhimento Institucional Plínio Tourinho, na Regional Matriz, que atende pessoas em situação de rua alagou na noite de quarta-feira e ficou com o atendimento suspenso durante a noite. 

Na CIC, seis casas no Jardim Gabineto receberam lonas da Defesa Civil. Na Regional Bairro Novo foram registradas 40 casas destelhadas na Vila Calixto, no Umbará. A região foi a mais atingida, segundo a Defesa Civil.

No bairro Fazendinha, a FAS atendeu quatro famílias com distribuição de colchonetes e cobertores. 

Urbs

As chuvas provocaram queda de energia nos terminais do Pinheirinho e Bairro Novo e problemas na bilheteria do terminal do Santa Cândida. O funcionamento da energia nesses locais foi retomado ainda na noite de quarta-feira (18/9). Os alagamentos e queda de árvores também provocaram atrasos em algumas linhas, que tiveram que fazer desvios, como é o caso da linha 232 Jardim Aliança e 772 Tupy-Juliana. 

Na Rodoferroviária, algumas telhas foram danificadas. No Terminal do Guadalupe, algumas lojas foram alagadas. Os reparos já estão sendo feitos.
 

Esportes

Alguns equipamentos da Secretaria Municipal do Esporte, Lazer e Juventude (Smelj) também foram afetados pelas fortes chuvas. No Centro de Atividade Física Ouvidor Pardinho (Cafi), no Rebouças, houve danos no telhado e forro. 

Os reparos já estão sendo feitos na manhã desta quinta-feira (19/9). As aulas agora pela manhã foram suspensas e devem retornar à tarde. Nos Centros de Esporte e Lazer Afonso Botelho e Arthur Bernardes, na Regional Portão, também foram registradas goteiras e infiltrações. 

As atividades foram suspensas nos dois equipamentos na manhã desta quinta-feira (19/9) para limpeza e reparos. A previsão é que durante a tarde tudo esteja normalizado. 

A academia do Parque Barigui, CAFI Judith Passos, está com as atividades suspensas na manhã quinta-feira (19/9). A previsão de retorno das aulas é para a tarde. 

Outros números da chuva da noite de quarta-feira (18/9)

– Solicitações de lona para atender situações de destelhamentos nos bairros Boa Vista, Portão, Cajuru, Umbará (Vila Calixto – 50 casas) e Caximba (Vila 29 de Outubro – 150 casas).

–  Alagamentos em diversos bairros, com mais intensidade no Fazendinha, Boa Vista, Água Verde, Boqueirão, Cristo Rei, Parolin e Mercês.

– Erosão no asfalto da Padre Camargo com Agostinho Leão Júnior, com bloqueio parcial sinalizado por agentes de trânsito.