Exposição do BOPE no Shopping Estação em comemoração aos 162 anos da Polícia Militar do Paraná.

Pessoas que passarem pelo Shopping Estação, Curitiba, entre esta terça-feira (02) e sábado (06) terão a oportunidade de conhecer um pouco do trabalho desenvolvido pelo Batalhão de Operações Especiais (Bope) que está expondo seus materiais e equipamentos em comemoração ao 162º aniversário da Polícia Militar do Paraná.

No primeiro dia de evento crianças e adultos conheceram as atividades das seis subunidades do batalhão e receberam a edição inaugural do Almanaque do Bope (gibi). A ação também tem como objetivo integrar a corporação com a população que circula pelo centro comercial.

Segundo o comandante-geral da PM, coronel Maurício Tortato, a atividade faz parte das comemorações dos 162 anos da corporação que durante o mês de agosto terá uma série de ações voltadas para o cidadão. “Queremos inserir nossa sociedade dentro de um processo de absoluta integração e inserção com a Polícia Militar. Este espaço aberto aqui, pela iniciativa do Bope em conjunto com o shopping, é uma oportunidade ímpar para que as pessoas conheçam o trabalho do batalhão especializado em todas as suas dimensões, além de ser uma grande oportunidade para que as crianças e os jovens se interessem pela profissão”, afirma.

“Queremos aproximar ainda mais a sociedade da corporação, para que as pessoas conheçam os policiais militares que estão à disposição para servir a população. A exposição faz parte do mês de aniversário da Polícia Militar e, para apoiar a nossa instituição nesta data comemorativa, pensamos neste evento que também visa mostrar nossas atividades e a importância que esta unidade especializada tem dentro da PM”, diz o comandante do Bope, tenente-coronel Hudson Leôncio Teixeira.

“Esta iniciativa é muito bacana e também produtiva, pois traz a corporação para junto da sociedade e derruba aquele mito de que o policial é truculento. Acho muito positivo para todo mundo e todas as partes só têm a ganhar. A PM está de parabéns, principalmente pelo gibi, porque é fundamental colocar valores e trazer de volta a participação dos policiais militares na comunidade, onde ele deve ser um referencial, principalmente para as crianças”, destacou Gianni Felipe Pelens.

No decorrer dos dias, a exposição acontecerá das 10 horas às 22 horas, e as pessoas poderão visitar os estandes e conhecer os equipamentos usados pelas subunidades do Bope: a Companhia de Operações com Cães (COC), a Rondas Ostensivas de Natureza Especial (Rone), o Comandos e Operações Especiais (COE), o Esquadrão Antibombas (EAB), a Equipe de Negociação (EN) e a Companhia de Polícia de Choque (CiaPChoque).

De acordo com a coordenadora de Marketing do Shopping Estação, Larissa Pereira, o objetivo da ação é dar espaço a estas inciativas do governo e estar mais próximo da população, além de incentivar que outras parcerias aconteçam futuramente. “Sem dúvida é uma exposição especial, pois são 162 anos da Polícia Militar e somos gratos por termos sidos escolhidos”, disse.

DIVERSÃO – No primeiro dia de evento, além das apresentações práticas feitas pelas subunidades para demonstrar um pouco do seu trabalho e da sua atuação, também foi possível as crianças se divertirem com a pintura de rosto, oficina de desenho, escalada de corda, bem como fazer fotos nas viaturas e com os cães.

Flávia Tessaro aproveitou que estava no shopping e levou seu filho Bernardo Tessaro para visitar a exposição. “Achei bem interessante, nunca tinha visto nada parecido. Geralmente vemos os policiais na rua, mas não temos conhecimento do trabalho que eles fazem. Não sabemos que a atividade do Bope é diferenciada. O evento é muito bom para que toda a população possa saber o que a corporação faz, principalmente para que as crianças não tenham medo”, explica.

As amigas Simone Alves Pires e Camila Evelyn acharam a exposição muito interessante. “Conhecemos o trabalho deles, mas as vezes ficamos com receio e hoje tivemos a oportunidade de nos aproximar e tirar dúvidas. Mas nunca imaginei estar tão perto e aprender um pouco. Os equipamentos que eles usam deve precisar de muito treino para usá-los”, destacou Simone. “Achei muito legal porque conseguimos saber mais sobre o dia a dia deles”, acrescentou Camila.

“Trabalho há muito tempo com jovens e na minha comunidade em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, todos gostam da Polícia Militar e sempre participamos dos eventos da corporação. É legal porque as pessoas podem ver de perto como a PM trabalha e conhecem o material usado para nos proteger. Esta exposição tem que acontecer mais vezes e em outros momentos para que a sociedade sinta-se mais próxima dos policiais militares”, destaca a Dona Cida, que faz questão de participar dos eventos da instituição.

Era visível o brilho no olhar das crianças que aproveitaram o momento para brincar e aprender ao mesmo tempo. “Estou gostando bastante. Quando subi na corda e fui até lá em cima me senti confiante, porque sabia que não ia cair. Quando crescer quero ser policial, vou poder fazer trabalhos que nunca fiz e usar estes equipamentos”, afirmou Eloisa Lopes Favarin, filha da soldado Tamy Roberta de Jesus Favarin, que também levou sua outra filha Emanuele Lopes Favarin.

Muitas pais aproveitaram o espaço criado pelo Bope para ter um momento de distração, de forma gratuita, com seus filhos. “Estou de férias e aproveitamos para passear no shopping, mas eu não sabia desta atividade. Passando e vi as sirenes, me surpreendi pela organização e pela atitude, principalmente pela integração dos policiais com as crianças. O que mais me chamou a atenção foi a abertura e o calor humano dos policiais. Estamos acostumados a ver eles de uma forma mais fechados e hoje isto foi quebrado. A exposição ficou bem informal e interativa. O gibi vai atrair a atenção das crianças e acho legal distribuí-lo nas escolas também, pois é uma iniciativa ótima”, parabenizou o funcionário público Marcelo Costa Rosa,que levou seu filho Miguel Egewarth Costa Rosa de 4 anos e 8 meses.

Os policiais se revezaram em turnos para atender a comunidade. Além de explicar sobre o trabalho do Batalhão e mostrar os equipamentos e materiais, os militares também fizeram pintura de rosto e uma pequena oficina de senho, interagindo com as crianças. “É muito gratificante participar de atividades como esta na qual podemos desmistificar algumas situações que fazem com que as crianças acabem tendo medo da polícia. Queremos mostrar que o policial é um amigo e alguém em quem elas podem confiar. É tão bom ver o olho delas [crianças] brilhar e mostrá-los que a PM veio para servir a comunidade”, destaca o sargento Luciano Antunes de Moura.

GIBI – A 1ª edição do Gibi do Bope foi criado para, de forma lúdica, orientar as crianças, e seus familiares, sobre a violência e a prevenção ao uso de drogas, além de trazer dicas de segurança e outras questões como direitos humanos, cidadania e segurança pública.

“O gibi é uma iniciativa muito importante que visa, dentro de um conceito maior de Polícia Militar cada vez mais amiga, se abrir para as crianças e jovens, inclusive como uma forma de estimulá-los para esta profissão. Este material faz parte de uma segurança pública primária, em que medidas como esta são muito importantes e se somam às iniciativas como do Proerd (Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência), que pertence ao Batalhão de Patrulha Escolar Comunitária, que atua preparando este jovem para o futuro”, destacou o coronel Tortato.

O material terá 5 mil exemplares e está dividido em 16 páginas coloridas, além de dar orientações, também visa incentivar as crianças a lerem. Com uma linguagem simples e bem humorada o material deverá ter mais uma edição em breve, e neste primeiro exemplar contará a história do Bope e a função de cada uma das suas subunidades. “O gibi, num primeiro momento, é uma apresentação do batalhão e já temos, para cada trimestre, edições com outros temas. Estamos tentando com este material, além da aproximação com as crianças, dar dicas e orientações de segurança pública”, conta o tenente-coronel Hudson.

Karina Teresinha Comnisky, que é babá do Wellington Gabriel da Silva, de 3 anos e 8 meses, fez questão de pegar um gibi para levar pra casa. “Interessante a ideia do gibi porque incentiva a criança a ler. Vou levar um e ler para ele depois. O Gabriel adorou e eu também gostei bastante do evento, nunca imaginei que a PM faria este tipo de atividade”, ressalta.

“Queremos que todas as pessoas e crianças possam participar desse evento que segue a semana toda. Convidamos a comunidade para conhecer o batalhão e tirar suas dúvidas. Temos várias atividades voltadas para os pequenos. Cada subunidade tem seu representante que está apto a falar e esclarecer qualquer dúvida que as pessoas tenham. Buscamos mostrar o outro lado dos policiais militares, principalmente para as crianças que serão os adultos do futuro. Por isso elas precisam saber para que serve a Polícia Militar. Ver a sociedade participando conosco é importante, porque atrás da farda há um ser humano”, diz o tenente-coronel Hudson.