Furacão pressiona até o final e vence o Tolima no Caldeirão

O jogo começou pegado, uma digna partida de Conmebol Libertadores. Com uma forte marcação, poucas chances foram criadas.

A primeira chegada do Furacão foi com Nikão, aos 25 minutos. Ele chutou forte após cobrança ensaiada de falta, mas a bola saiu pelo lado direito.

Depois, foi a vez de Marco Ruben. Ele viu o goleiro adiantado e mandou de longe. Montero ficou com a bola.

Furacão vai para cima e acha o gol no segundo tempo

Na segunda etapa, o Furacão conseguiu chegar mais cedo ao gol adversário. Camacho pegou a sobra de um escanteio, aos dois minutos, e mandou de fora da área. O goleiro encaixou.

Aos sete, a melhor chance da partida até então. Nikão cruzou na segunda trave e Renan Lodi chegou batendo. O goleiro desviou e a bola tocou no travessão. Na sobra, Rony foi atingido na área, mas o jogo seguiu.

Logo no minuto seguinte, Marco Ruben tocou em profundidade para Rony. O camisa 7 driblou o goleiro, mas ficou sem ângulo. O chute tocou a rede, pelo lado de fora.

Aos 30’, Bruno Guimarães fez boa jogada, avançou no ataque e tocou para Rony, dentro da área. Ele tentou o cruzamento, mas o goleiro interferiu. Na sobra, Marcelo mandou de cabeça para fora.

Se nas jogadas trabalhadas a bola não entrava, o Rubro-Negro contou com um pouco de sorte para abrir o placar, aos 33 minutos. Bruno Guimarães recebeu com espaço no meio-campo, ajeitou e mandou rasteiro. A bola desviou no marcador e entrou, sem chances para o goleiro. 1 a 0!

Aos 44’, Santos lançou Rony, que fez a finta no marcador e soltou a bomba. O goleiro espalmou para escanteio.

Nos minutos finais, o Furacão controlou o jogo e o Tolima não ameaçou. Final de partida, Athletico 1 a 0!

Clube Athletico Paranaense é um clube de futebol brasileiro, da cidade de Curitiba. Foi fundado em 26 de março de 1924, a partir da fusão do International Foot-Ball Club e do América Futebol Clube. Suas cores tradicionais são o preto e o vermelho, que lhe rendem a alcunha de rubro-negro.