18 C
Curitiba
terça-feira, 23 abril 2024

Mutirões de castração gratuita de cães e gatos chegam a mais três regionais de Curitiba

Os moradores dos bairros das regionais CIC, Matriz e Portão podem fazer o agendamento, a partir das 12h desta segunda-feira (14/8), para os mutirões de castração gratuita de cães e gatos da Prefeitura de Curitiba. A Rede de Proteção Animal vai oferecer 5 mil vagas para as cirurgias.

As castrações serão realizadas na unidade móvel de 28 de agosto a 8 de setembro, das 8h às 17h.

Na CIC, as cirurgias serão feitas no Parque dos Tropeiros. O endereço é Rua Maria Lúcia Locher de Athayde, 8.444, esquina com a Rua Thereza Slongo Furlan, bairro São Miguel. 

Nas regionais Matriz e Portão serão feitas na Primeira Igreja Batista de Curitiba, campus Parolin (Rua Professor Plácido e Silva, 860, Parolin). O bairro foi escolhido pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente para atender a comunidade que vive no Parolin, o principal foco da ação.

O diretor de Pesquisa e Conservação da Fauna, da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Edson Evaristo, explica que o mutirão de castração para as regionais Matriz e Portão será feito de forma unificada. “Vamos oferecer 2,5 mil vagas no evento e atenderemos os moradores das duas regionais de forma conjunta”, disse Evaristo.

Podem participar do mutirão, cães e gatos de ONGs, protetores independentes e tutores dos bairros elegíveis, com animais de 5 meses a 8 anos.

Os interessados devem estar com os cadastros em dia junto à Rede de Proteção Animal e atender aos requisitos de participação.

Saúde dos pets e tutores

A médica veterinária Ana Paula Mafra Poleto, da Unidade de Vigilância de Zoonoses da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), defende a castração como fator de proteção tanto para os pets, como para os tutores e pessoas em geral. 

“Gatos machos não castrados estão muito mais sujeitos a pegar doenças devido a brigas com outros gatos. Eles brigam por território e por fêmeas e se expõem mais a doenças sérias e até a zoonoses”, explicou Ana Paula. 

A veterinária citou como exemplo a esporotricose, uma doença fúngica transmitida do gato infectado para outros gatos e até para as pessoas, principalmente por arranhões e mordidas.

Em Curitiba, no ano passado, 71,2% dos gatos diagnosticados com esporotricose eram machos e destes 44,5% não estavam castrados. “Sendo assim, é muito importante a castração destes animais, além das demais ações voltadas a guarda responsável”, destaca Vivien Morikawa, gerente técnica do departamento de Pesquisa e Conservação da Fauna da Secretaria Municipal do Meio Ambiente.

Procuração eletrônica

Para atender à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e resoluções do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), o site da Rede de Proteção Animal permite indicar quem será o acompanhante do animal no dia da cirurgia, se o responsável não puder comparecer.

Além da legislação, todos os animais atendidos pelo programa recebem microchip eletrônico de identificação, com código exclusivo vinculado aos dados do cidadão responsável pelo animal.

Animais sob os cuidados de protetores ficam com seus dados vinculados ao que levam para castração até que sejam devidamente transferidos ao novo responsável quando adotados. 

Programa municipal

Desde 2017, a Rede de Proteção Animal da Prefeitura de Curitiba promove, entre outras atividades, as ações de castração de animais como política pública para promoção da saúde única e evitar o abandono de crias indesejadas. Desde então, mais de 102,5 mil cães e gatos foram beneficiados pelo Programa Municipal de Castração Gratuita.

Relacionados

EDIÇÃO IMPRESSA Nº 116 | MARÇO/2024

spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS