Polêmico presidente do Vasco, Eurico Miranda morre aos 74 anos

Morreu nesta terça-feira (12), aos 74 anos, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, o cartola Eurico Miranda, uma das figuras mais importantes e polêmicas da história do Vasco da Gama. Eurico morreu vítima de um câncer no cérebro. Na atual gestão do Gigante da Colina, ele era presidente do Conselho de Beneméritos do clube.

Eurico fazia aparições públicas há alguns meses, estava debilitado e precisava da ajuda de cadeiras de rodas para se locomover. Com a saúde fragilizada, o cartola tinha em casa uma estrutura para manter o tratamento. Antes da doença que o vitimou, ele já tinha sofrido com câncer no pulmão e outro na bexiga.

O dirigente foi presidente do Vasco de 2001 a 2008, e voltou a comandar o clube entre 2014 a 2017. Foi vice-presidente durante o período de mais conquistas da história do time carioca, quando conquistou os títulos brasileiros de 1997, da Libertadores, em 1998, além dos torneios João Havelange e Copa Mercosul, ambos em 2000. No entanto, sua presença nos bastidores era antiga.

Em 1969, quando era vice-presidente de patrimônio do Vasco, Eurico desligou a luz na sede do clube, o que adiou a cassação do então presidente Reinald Reis. Eurico também atuou na política e foi eleito deputado federal pelo Rio de Janeiro em 1994, pelo extinto PPB.

O cartola também foi alvo de diversos processos ao longo de sua vida. Em um deles, foi alvo de uma CPI em 2001 que investigava irregularidades na administração do futebol brasileiro. Autor de frases polêmicas, Eurico chegou a dizer que não sabia se sentia mais prazer ao ter uma relação sexual ou ao ver seu time do coração bater o maior rival, Flamengo.

Em uma das últimas frases mais polêmicas, Eurico afirmou que se mudaria para a Sibéria caso o time fosse rebaixado em 2015, o que acabou ocorrendo no fim da daquela temporada. O ex-presidente do Vasco foi um dos fundadores do Clube dos 13, organização que tentava renegociar os direitos de transmissão de rádio e TV dos campeonatos nacionais e fazer frente ao modelo de gestão da CBF.

Em 2015, após uma vitória vascaína no Carioca, Eurico foi perguntado como era a sensação de ganhar um clássico sobre o maior rival. A resposta aos jornalistas no Maracanã viralizou nas redes sociais.

O velório de Eurico Miranda será em São Januário, aberto ao público, a partir das seis da tarde. Ele deixa esposa, quatro filhos e oito netos.