15.9 C
Curitiba
sexta-feira, 14 junho 2024

Sanepar recolheu 391 toneladas de lixo das praias até 31 de janeiro, média de 8,5 toneladas por dia

Desde o início da temporada, em 17 de dezembro, até o último dia de janeiro, a Sanepar coletou 391.964 quilos de lixos no Litoral do Paraná. Deste total, foram 181.182 kg de resíduos orgânicos e 210.782 kg de materiais recicláveis. São cerca de 8,5 toneladas por dia (46 dias de temporada), um pouco menor do que a média do começo da temporada, que ficou em 10 toneladas/dia.

Nas praias de Matinhos, Guaratuba e Pontal do Paraná, a limpeza é feita diariamente num trecho de 48,6 quilômetros da orla. E, em Morretes e Guaraqueçaba, as limpezas são pontuais. Em Morretes, foi nos dias 7 e 21 de janeiro; em Guaraqueçaba, em 14 e 28 de janeiro.

Na varrição, coleta e separação de resíduos sólidos, trabalham 140 pessoas contratadas pela Sanepar. O lixo reciclado e é destinado às associações de coletores dos municípios; e o material orgânico é transportado pelas prefeituras até os aterros municipais.

A limpeza das praias é feita pela Sanepar há 12 anos nas temporadas de verão. Junto com a limpeza, os banhistas recebem sacolinhas plásticas para colocar seu lixo, em vez de deixar na areia. Uma equipe também explica sobre a importância do descarte correto dos resíduos evitando danos ambientais aos oceanos e ao planeta.

RECICLAGEM DO COCO – Em Pontal do Paraná, os cocos verdes coletados nas praias pela Sanepar estão sendo destinados para o projeto Nossa Praia Mais Limpa e Sustentável, desenvolvido pela Universidade Estadual do Paraná (Unespar), no campus de Paranaguá, e que tem a participação da Cooperativa Eco Pontal e da Prefeitura de Pontal.

O material chega à cooperativa, onde são feitas a trituração, a lavagem e a secagem da fibra da casca do coco verde, que fica armazenada para futuro processamento. O substrato é utilizado pela Secretaria de Meio Ambiente de Pontal para compostagem e utilização nos programas de hortas escolares e jardins públicos do município.

O objetivo do projeto é aproveitar toda casca do coco verde consumido nas praias do município, fazendo o descarte correto do coco sem agredir o meio ambiente, e gerar recursos para a Cooperativa Eco Pontal.

Na temporada passada o projeto triturou e aproveitou aproximadamente 10 toneladas de casca de coco coletadas pelas equipes da Sanepar. Para esta atual temporada, a expectativa é o aproveitamento em quantidade ainda maior.

FAÇA A SUA PARTE – Recolha todo o lixo gerado por sua família durante o passeio. Separe uma sacolinha para essa função antes de ir à praia. Se ela for de material biodegradável, melhor ainda, porque o impacto ambiental será menor. Quando sair da praia, se as lixeiras estiverem muito cheias, não jogue seu saquinho por cima de tudo. Leve para casa ou procure um local adequado.

Mais de 95% do lixo encontrado nas praias brasileiras é composto de plástico, segundo pesquisa feita pelo Instituto Oceanográfico da USP (IO/USP). Estima-se que cerca de 8,8 milhões de toneladas de lixo plástico acabam nos oceanos do planeta todos os anos. E as perspectivas não são nada boas: estudo feito pelo Boston Consulting Group (BCG), em parceria com a organização ambiental WWF e a entidade filantrópica Fundação Ellen MacArthur, avalia que o volume global de plástico que entra no oceano deve triplicar nos próximos 20 anos. 

A cada quilômetro de praia no Brasil são descartadas cerca de 25 mil bitucas de cigarro na areia, conforme dados do projeto Lixo Fora D’Água, desenvolvido no município litorâneo de Santos (SP). Se você é fumante, nunca descarte as bitucas na areia, muito menos nas latas de alumínio ou nas garrafas de vidro. Isso pode prejudicar ou até inviabilizar a reciclagem dos itens. Leve um recipiente específico e, se não houver um ponto de coleta para reciclagem de bitucas, descarte no lixo comum. As bitucas são campeãs de descarte incorreto no país.

CADA LIXO NO SEU LUGAR

ORGÂNICO E LIXO COMUM – Restos de comida, cascas e sementes de frutas, coco verde, bitucas de cigarro, algodão, fraldas usadas, filme plástico, tecido, borracha, palitos de sorvete e de churrasquinho.

RECICLÁVEL – Latas, lacres e embalagens de alumínio, tampas e copos plásticos, garrafas de vidro, garrafas pet, isopor, canudos, embalagens de protetor solar e de repelente, potes de creme, haste de cotonete, papeis e plásticos de modo geral.

Relacionados

EDIÇÃO IMPRESSA Nº 118 | MAIO/2024

spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS